Em Violado, novo livro do escritor e jornalista piauiense Hermes Coêlho (@hermescoelho), obra publicada pela Editora Patuá, o autor percorre, em um rito de passagem, temas como traumas de infância, cenas poético-amorosas contemporâneas e um latente desejo homoerótico. Hermes é natural de Teresina, no Piauí, e mora em Brasília desde 2010, quando começou a trabalhar na TV Senado. Atualmente, é chefe de reportagem e apresentador do programa Cidadania na emissora. O livro tem prefácio assinado pelo escritor Adriano Lobão Aragão e orelha escrita pelo também escritor Maurício Melo Júnior.

Dividido em seis partes, Violado começa com o bloco “inescapável”, em que o autor quase revela os motivos pelos quais voltou a escrever: “escreve / ou devoro-te”. Ao receber da vida esta missão, resolveu dividir-se novamente e trazer à tona seu lado poeta. Através de versos curtos, mas minuciosamente escolhidos e milimetricamente versados, Hermes reinventa, em sua segunda obra, traços que surgiram 20 anos atrás em seu primeiro livro, Nu, de 2002, publicado pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves, vencedor do prêmio Cidade de Teresina através do Concurso Novos Autores.

Um destaque de Violado é a carga homoerótica dos poemas que escapa por entre as frestas dos versos curtos e que saltam ao leitor como revelações, como pequenas epifanias de um desejo que parece ter sido ocultado diversas vezes. Além disso, Hermes também percorre as suas “cidades nuas” em busca de reconhecer nos outros algo de si mesmo. Traz, na sua força de rebeldia, uma vontade de explodir com as fórmulas comuns e achar um verso que sirva exatamente para si e que faça os leitores entenderem que “se pareço maldito / é porque o sou de fato”.

Livro está à venda no site da editora Patuá

Com assessoria de imprensa.