LEITURINHA - Em busca do aconchego perdido


Marcos Losnak  Especial para a Folha2
Marcos Losnak Especial para a Folha2

Quando você deseja muito uma coisa, muito mesmo, imagine que a única forma de tentar conseguir essa coisa é vender algo que você tem.
Imagine que, numa situação dessas, você não tem nada para vender. Nada mesmo. A única coisa que você tem é seu anjo da guarda.
Imagine que, nessa situação limite, você venda seu anjo da guarda. Meio assim, na louca, com certo receio, mas pensando no desejo de algo melhor.
Um moleque chamado Novênio faz exatamente isso em ''Atrás da Estação Ferroviária Fica o Mar'', romance infantojuvenil da escritora alemã Jutta Richter lançado pela editora Iluminuras.
Novênio é um garotinho que fugiu de casa após ser espancado pelo novo namorado de sua mãe. Vivendo na rua, trava amizade com outro garoto, Cosmos, com mais experiência de rua e outros tipos de problemas.
Os dois se unem num mesmo desejo, num mesmo sonho: conhecer o mar. E para isso, ainda carregados de ingenuidades, realizam uma troca simbólica que determinará seus próprios destinos.
Pode até parecer uma história de auto-ajuda para crianças, mas trata-se de uma história de aprendizado de responsabilidades. Aquele tipo de responsabilidade que cada um tem consigo mesmo. Aquele tipo de responsabilidade que cada um tem em relação aos outros. Tudo isso em meio ao real desamparo e a revelação dos capítulos finais da ingenuidade.
Jutta Richter, na narrativa de ''Atrás da Estação Ferroviária Fica o Mar'' levanta algo sutil: a ingenuidade não seria uma bobagem, algo obsoleto e ser superado o mais rápido possível.
A ingenuidade seria uma espécie de prova dos nove quando todas as dores fingem serem invisíveis, escondidas nos cantinhos da pele, quando o corpo todo se encolhe em busca de aconchego.

SERVIÇO
Atrás da Estação Ferroviária Fica o Mar
Autor - Jutta Richter
Editora - Iluminuras
Tradução - José Feres Sabino
Páginas - 96
Quanto - R$ 28,00


LANÇAMENTO

Bicho
  Em ‘‘Auau Miau Piu-piu’’ a francesa Céline Boyer realiza uma série de brincadeiras com as maneiras e as formas de viver de animais doméstico como o cão, o gato e o pássaro. Como recurso gráfico, a autora substitui as tradicionais imagens dos bichos pelas onomatopéias de seus sons.
■ Editora Berlendis & Vertecchia, tradução de Marta Kawano, 24 páginas, R$ 46,00.

Poesia
  ‘‘Meu Filho, Meu Besouro’’ é o primeiro livro de poemas voltado ao público infantil do jornalista, músico e escritor Cadão Volpato. Os poemas falam das surpresas de desafios no cotidiano entre as gerações de pais e filhos, os encontros de descobertas. Percepções do dia a dia e um entendimento alegre da existência estão presentes nos versos.
■ Editora Cosac Naify, 40 páginas, R$ 35,00.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo