São Paulo, 28 (AE) - O Centro Cultural São Paulo firma seu compromisso com o balé trazendo aos palcos a Companhia de Dança Lina Penteado, de Campinas, e dá continuidade ao projeto Solos, Duos e Trios. Os espetáculos ocorrem de amanhã (29) a domingo e têm como característica a diversidade da dança contemporânea.
Pela primeira vez no Centro Cultural São Paulo e há dez anos sem se apresentar na cidade, a Companhia de Dança Lina Penteado, sob a direção artística de Maria Sílvia de Gennaro, trará três coreografias entre os seus mais recentes trabalhos: "Immagini", de Felipe Chepkassoff, Sisu", de Holly Cavrell, e "Interface, de Tíndaro Silvano.
"Essas três coreografias foram especialmente montadas para São Paulo, porque serão apresentadas em um palco aberto, isto é, num teatro de arena", conta Maria Sílvia. Por esse motivo, não foi possível trazer a orquestra que acompanha o grupo durante a turnê. O grupo também foi obrigado a repensar as cenas juntamente com os coreógrafos: "O público poderá assistir ao espetáculo por vários ângulos; como as coreografias foram montadas para frente única, tivemos a preocupação de remontar algumas cenas para não dar as costas à platéia e, também, retirar a entrada e saída nas coxias", explica Maria Sílva.
O espetáculo é composto por três estilos diferentes, mas todos ligados à dança contemporânea. "Essa apresentação em São Paulo inicia uma nova fase da companhia, que volta à cidade com cara nova", empolga-se a diretora artística. "Immagini, apresentada pela primeira vez em setembro, foi inspirada na obra barroca de Corelli, que uniu imagens aleatoriamente como se fosse um sonho. "As imagens vem e vão, inclusive, o figurino - vestidos longos e soltos - remete a essa idéia" diz Maria Sílvia.
Em seguida, em contraposição à leveza de Chepkassoff, a americana Holly Cavrell apresenta a coreografia moderna Sisu. Uma palavra finlandesa que significa "não se entregar". Baseada em experiências pessoais - Holly morou na Dinamarca e Finlândia -, mostra a dificuldade de adaptação a outras culturas e a sonoplastia composta por sons de tambores japoneses reforça a idéia de reiteração.
Para fechar, "Interface", que tem uma música de Fábio Cardia composta especialmente para ela. A composição mistura elementos do jazz, música erudita, trilhas do cinema italiano, funk e pop. Nesse trabalho, a idéia está na ligação entre a dança e a música.
Trios - Circuito Interno", concepção e direção de Thelma Bonavita, elaborado entre as bailarinas e a coreógrafa, é fruto de pesquisas desenvolvidas pelo grupo. Partiram do movimento para a temática, da análise da anatomia do corpo, dos sentidos e das particularidades de percepção da movimentação física. "Partimos dos conceitos da Companhia Nova Dança, isto é
nos dedicamos ao estudo do corpo: do físico e da estrutura muscular," explica Thelma. No decorrer dessa experiência, as bailarinas utilizaram câmeras de vídeo para auxiliar na composição da coreografia. "Por meio das imagens, pudemos perceber o olhar do espectador e aí surgiu a idéia de circuito interno - pessoas sendo observadas."
Ao assistir ao vídeo, o grupo passou a pesquisar mais sobre o "olhar da câmera" e a "fenomenologia do olhar". Empenharam-se, então, no diálogo entre o corpo e a imagem. O tema escolhido foi o cotidiano de três garotas e a linguagem - musical e cenográfica - que melhor expressa a temática é o pop. Por isso, a trilha sonora, de Dan Nakagawa, dá o tom com ruídos caseiros, baladas e músicas de ícones como Madonna. O cenário conta com telas, sobreposições de imagens, desenhos e cartuns. A interpretação fica por conta de Fabíola Ultramari, Letícia Sekito e Mara Guerrero. Serviço - Cia. de Dança Lina Penteado. De amanhã (29) a sábado, às 20 horas; domingo, às 19 horas. R$ 5,00. Centro Cultural São Paulo - Sala Adoniran Barbosa. Rua Vergueiro, 1.000, tel. 3277-3611. Até domingo Solos, Duos e Trios. De amanhã a sábado, às 21h30; domingo, às 20h30. R$ 5,00. Centro Cultural São Paulo - Sala Paulo Emílio Salles Gomes. Rua Vergueiro, 1.000. 3277-3611. Até 9/4