Chefões do cinema vinhamdos EUA para as estréias
Arquivo FolhaÀ esquerda, a casa cheia na inauguração do Cine-Teatro em 1978 e, no detalhe, o convite para a inauguração do cinema em 1952Testemunha ocular da história cultural de Londrina, o gerente do Cine-Teatro Ouro Verde, José Souza, popularmente conhecido como Zezinho, está há 36 anos na instituição. Conheceu de perto várias fases pelo qual passou aquele espaço cultural. Nos áureos tempos que o cinema era o point da cidade, Zezinho destaca a presença dos diretores das companhias cinematográficas, como a Fox, Warner e United Artists, que mesmo após a inauguração do cinema vinham conhecer o Ouro Verde. ‘‘O cinema de Londrina era muito comentado pelos americanos. Eles vinham para as estréias dos filmes’’, afirma.
O Ouro Verde era local para se namorar, e muito. Zezinho não esquece dos muitos noivados marcados nas dependências do cinema. ‘‘Depois que casavam, muitos vinham mostrar os filhos para mim’’, diz. Em 1978, quando as apresentações teatrais ganharam espaço, Zezinho teve oportunidade de conhecer artistas, como Tarcísio Meira, Fernanda Montenegro, Paulo Gracindo, e conviveu com o lado operário e humano dos monstros sagrados do teatro nacional.
Durante anos, o cinema oferecia 5 sessões diárias ao público. Nos últimos tempos, quando entra um filme em cartaz, pode-se festejar se há meia dúzia de espectadores. Uma das preocupações de Alcides Carvalho e José Souza se refere à readequação na grade de programação, uma questão a ser solucionada após a reforma do espaço.(F.F.)