Michele Muller
De Curitiba
Especial para a Folha2
Quem estiver passando as férias em Itapoá, no litoral de Santa Catarina, já deve ter escutado –á e mais de uma vez – o repertório do primeiro CD da cantora curitibana Susi Monte Serrat. Como o lançamento do disco ‘‘Caras da Cidade’’, em 23 de dezembro, coincidiu com o verão, a praia pareceu à artista o melhor lugar para iniciar o trabalho de divulgação.
A idéia é permanecer em Itapoá durante mais alguns dias e partir para a região litorânea do Paraná, onde a maior parte dos conterrâneos de Susi estará concentrada nos próximos meses.
Ao assistir seus shows em bares, restaurantes e lanchonetes, o público é presenteado com recitações poéticas feitas pelo escritor paranaense João Bello, autor de ‘‘Parque dos Nossos Sonhos’’. ‘‘A parceria tem dado muito certo. Já levamos o espetáculo a escolas de Curitiba, e queremos continuar conciliando música e poesia em todas as apresentações’’, diz a cantora.
A gravação do CD é um antigo projeto que foi viabilizado graças a recursos obtidos por intermédio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e da venda prévia de cópias do trabalho a amigos e conhecidos de Susi. Ela assina as 14 faixas, todas escritas nos últimos 15 anos. Algumas contam com a parceria do violonista e compositor Ronald Magalhães – marido da cantora – também responsável pelos arranjos do disco.
‘‘Caras da Cidade’’ desliza por diversos ritmos brasileiros, como samba-canção, xote e bossa nova. ‘‘Essa mistura é um espelho da identidade musical paranaense, influenciada por estilos do Brasil inteiro’’, explica. Fugindo de apelos amorosos, as letras do repertório servem como um veículo usado por Susi para comunicar aos ouvintes sua filosofia de vida.‘‘Abordo assuntos como sociedade e ecologia porque acredito que informação e sensibilidade, encontradas tanto na música quanto na poesia, são instrumentos fundamentais para que possamos transformas as coisas’’.