Pesquisa realizada entre assinantes brasileiros e portugueses, pelo Canal Brasil, indicou o humorista Mazzaropi como o comediante do século. O que surpreende é que este resultado põe em cheque até a discutida falta de memória do brasileiro. Mazzaropi morreu há anos e ao longo de sua vida e carreira mereceu quase nenhuma consideração da crítica. Mas tinha um público cativo. Seu estilo de humor muito simples, sua identificação mesmo com a massa, a figura de um ‘‘Jeca Tatu’’ atual produziam uma efetiva interação com grande parcela do público. Tendo se iniciado no circo, feito rádio e pouca TV, Mazzaropi acabou descobrindo o cinema e se tornou um dos poucos artistas a viver da sétima arte no Brasil. Acabou criando até seu próprio estúdio e lançava periodicamente suas produções, sempre com grande sucesso de público. Pode até ser chamado de ao Renato Aragão de sua época, com uma vantagem: não tinha esquema da Globo para dar-lhe amparo. Era só ele.
Muitos o consideram o ‘‘Cantinflas brasileiro’’. Para quem não lembra ou não conhece, Cantinflas foi um dos maiores cômicos do cinema mexicano, também com grande penetração em toda a América Latina, Brasil inclusive. Mazzaropi talvez não tenha conseguido lá fora o sucesso, como ocorreu com Cantinflas. Mas, no Brasil, era imbatível.
O importante é que, anos após sua morte, ocorra esta lembrança e este resgate. Com o adicional de uma reavaliação por parte da crítica que – assim como está fazendo com as chanchadas da Atlântida – começa a perceber a profundidade do valor do artista que falava diretamente ao sentimento mais simples do povo. Mazzaropi não é apenas o ‘‘Comediante do século’’. Foi também um pioneiro, um homem de cinema que enfrentou dificuldades e conseguiu o que muitos outros (talvez com mais talento) não lograram, criando um legítimo cinema popular brasileiro.
Este resgate do comediante tem consequências diretas na programação do Canal Brasil que, neste mês, exibe quatro filmes, todos os domingos, com Mazzaropi. O primeiro a ser mostrado é ‘‘Sai da Frente’’, hoje, a partir das 14 horas. Meia hora antes, o Canal Brasil exibirá um especial sobre ele, em ‘‘Retratos Brasileiros’’. No dia 15, o Canal Brasil mostrará, a partir de 13h30, ‘‘Nadando em Dinheiro’’, outra divertida e inteligente comédia. Dia 22, será apresentado o filme ‘‘Candinho’’ e, no último domingo, a atração será ‘‘Fuzileiro do Amor’. Os filmes valem como comédia e, também, como uma reavaliação do trabalho do Comediante do século.