|
  • Bitcoin 102.844
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Bate-papo com Torero

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 25 de setembro de 2001

Rodrigo Souza Grota<br> De Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Talvez seu melhor atributo seja a diversidade. O roteirista, escritor e jornalista José Roberto Torero pode ser considerado aos 38 anos uma das grandes revelações da literatura, TV, cinema e imprensa brasileira. Ele estará hoje em Londrina e realiza uma palestra-debate a partir das 19h30, na Biblioteca Pública Municipal, com entrada franca.
O evento faz parte do projeto ''Londrina, Literatura & Cidadania'', promovido pela Books Livraria e Locadora, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura. A palestra integra a comemoração dos 50 anos da Biblioteca Pública.
Dificilmente alguém não terá lido ou visto nada do autor. Nascido em Santos, a 9 de outubro de 1963, José Roberto Torero Fernandes Júnior se formou em Letras (1985) e Jornalismo (1986) pela Universidade de São Paulo (USP). Iniciou cursos de graduação e pós-graduação em Cinema também na USP, mas logo abandonou.
Seus trabalhos em cinema incluem alguns dos melhores curtas produzidos nos últimos anos pelo cinema brasileiro. Em 1996, ele dirigiu e roteirizou ''A Alma do Negócio'' (1996, duração: 8 minutos), vencedor de sete prêmios incluindo menção honrosa no Festival de Palm Spring (EUA) e melhor comédia no Festival de Drama (Grécia). É a história de um casal e suas relações permeadas com comentários sobre os produtos que o acompanham em seu dia-a-dia. A harmonia extrema que geralmente costuma ambientar a maioria das propagandas brasileiras é satirizada sob sofisiticada ironia, arrancando muito riso da platéia.
Em Londrina, o filme foi exibido em março do ano passado durante a II Mostra de Cinema de Londrina. Será reexibido hoje, junto a outro filme em que Torero cuidou do roteiro, ''Uma História de Futebol'' (98, duração : 20 minutos). O curta de Paulo Machline não é tão bom quanto ''A Alma do Negócio'', mas é o primeiro filme brasileiro desse formato a ser indicado ao Oscar, o que ocorreu no começo desse ano. Recebeu oito premiações, incluindo prêmio especial do júri em Chicago e mehor drama no Festival de Nova Iorque.
Em vídeo tem dois trabalhos - a direção e roteiro de ''Glauber Rocha: Quando o Cinema Virou Samba'' de 95 e roteiro de ''Osvaldo Cruz'' (97), de Dainara Toffoli. Para a TV, escreve roteiros de ''Retrato Falado'', programa ficcional de dez minutos com Denise Fraga exibido aos domingos pela Rede Globo dentro do ''Fantástico''; além de ter escrito roteiros do programa ''Professor Palneta'' de 96 a 98.
Mas ele ficou conhecido mesmo foi com as suas colunas de esporte que mantém às terças e sextas na Folha de São Paulo, além da publicação de cinco livros bem recebidos pela crítica e pelo público. Em 1994, seu ''Galantes Memórias e Admiráveis Aventuras do Virtuoso Conselheiro Gomes, o Chalaça'' já mostrava um estilo que brinca com o real e o ilusório. Sob esse estilo ficcional, ele narra as aventuras encontradas no diário do famoso Chalaça, sendo agraciado naquele ano com o Prêmio Jabuti.
Depois vieram as parcerias com Marcus Aurelius Pimenta, ''Terra Papagalli'' (97), ''Santos, um Time dos Céus'' (98) e o mais recente ''Os Vermes'' (2000), além do bem-humorado ''Xadrez, Truco e Outras Guerras'' (98). Torero ainda arranjou tempo para escrever três peças de teatro: ''Omelete'' (98), com direção de Hamilton Vaz Pereira; ''Romeu e Julieta, Segunda Parte'' (92) e ''Sic Transit Gloria Dei'' (91).
• Os interessados em conversar com o escritor José Roberto Torero bem como assistir a dois curtas-metragens podem retirar os convites gratuitamente na Books Livraria e Locadora (Rua Espírito Santo, 1.257), em Londrina. Mais informações pelo telefone (43) 321-1126.