MÚSICA -

Ayrton Montarroyos lança tributos digitais

Gravadora Biscoito Fino disponibiliza nas plataformas de streaming o repertório de lives do cantor pernambucano em homenagem a Ivone Lara, Caetano Veloso e Lupicínio Rodrigues

Marcos Roman - Grupo Folha
Marcos Roman - Grupo Folha

Desde que ganhou projeção ao participar do programa The Voice Brasil em 2015, exibido pela Rede Globo, Ayrton Montarroyos tem se dedicado a reverenciar grandes nomes da grandes compositores da música popular brasileira. Dono de uma voz grave e de timbre singular, o artista pernambucano tem se mostrado uma das boas surpresas da nova geração de músicos brasileiros. O projeto de dar voz a autores que marcaram época no cancioneiro nacional ganhou força durante a pandemia de Covid-19, quando o jovem cantor tem apresentado lives cujos repertórios se tornaram álbuns virtuais que estão sendo lançados pela gravadora Biscoito Fino.  


Ao todo, serão lançados cinco tributos que foram apresentados na série "Terças ao vivo com Ayrton Montarroyos", transmitida pelo canal da Biscoito Fino no YouTube. O primeiro deles foi disponibilizado no mês de junho. Trata-se de ‘Sorriso Negro: O samba de Dona Ivone”, no qual o cantor resgatou clássicos da grande dama do samba, como “Força da Imaginação”, “Enredo do meu samba”, “Alvorecer” e “Minha verdade”. “Cantar Ivone Lara é sempre ritualístico, como uma invocação do próprio samba e sua modernidade. Tem-se que entender-se no samba, nas estrofes, fazendo um ritual todo próprio para que a vida das canções renasça a partir do intérprete e por ele, somente isso justifica cantar e cantar outra vez”, conta Montarroyos, que recriou os temas acompanhado pelo violão de Cainã Cavalcanti. 


Em julho, chegou às plataformas o álbum digital "Lupicínio Rodrigues, Entre Dores e Amores", no qual Montarroyos celebra a obra do compositor gaúcho no mês que marca os 47 anos de sua morte. No repertório, clássicos como “Loucura”, “Nervos de Aço”, “Ela disse-me assim”, “Nunca” e “Esses moços”. “Conhecia de ouvir todas as canções, porque estou sempre em contato com a obra desses compositores. Mas conhecer de ouvir é que nem só olhar, não significa lembrança. Tive que me apressar em aprendê-las, as canções, muitas das quais jamais havia cantado sequer no meu cotidiano”, conta o cantor pernambucano que mais uma vez foi acompanhado pelo violão de Cainã Cavalcanti. 


Caetano Veloso além do “Transa” é o álbum lançado no mês de agosto em que Ayrton Montarroyos canta acompanhado pelo violão de João Camarero. “Essa live que fiz sobre as músicas menos conhecidas de Caetano Veloso, serviu para despertar em mim a vontade de trabalhar mais com o repertório do compositor. Alguns meses depois, fiz uma segunda live, acompanhado por Rodrigo Campos e Arquétipo Rafa, com mais músicas do compositor. Fiquei muito feliz com o resultado e agora estamos em processo de pré-produção de um disco com esse repertório menos conhecido do Caetano”, conta Ayrton. No repertório estão pérolas como “Nu com a minha música”, “Homem velho” e “Onde o Rio é mais baiano”. 


Os tributos serão finalizados no mês de outubro, com mais dois lançamentos: um álbum com canções de Tom Jobim e outro dedicado a grandes mestres do choro. Responsável pela concepção e direção do projeto, Thiago Marques escolheu os temas junto com Ayrton e também com o público, que sugeriu compositores específicos. “O Ayrton, apesar de jovem, tem um público que gosta da música brasileira tradicional e dos grandes compositores.  São leituras que trazem o frescor de um cantor de vinte poucos anos para músicas de décadas passadas”, define. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo