Arte em vídeo


Marcos RomanReportagem Local
Marcos RomanReportagem Local
O trabalho de Berna Reale - Rosa Púrpura, de 2014 -, está entre os vídeos que compõem a mostra
O trabalho de Berna Reale - Rosa Púrpura, de 2014 -, está entre os vídeos que compõem a mostra | Divulgação



O cotidiano de um casal fictício formado pelos escritores Clarice Lispector e Georges Bataille retratado em um filme que transita nos contextos de videoarte, cinema e literatura. Uma viagem pela paisagem pelos céus e nuvens característicos das obras do pintor belga surrealista René Magritte. Uma imersão erótica provocada a partir de uma palavra em francês descrita por meio do alfabeto manual usado pelos surdos-mudos.

Essas são algumas das temáticas presentes na exposição "Fiz um vídeo pra que você entenda de uma vez por todas", promovida pela Divisão de Artes Plásticas da Universidade Estadual de Londrina (DaP/UEL) com curadoria de Danillo Villa e Elke Coelho. A mostra que será aberta nesta terça-feira (12), às 19h30, reúne obras de 10 artistas brasileiros alguns com trajetórias consagradas, e que têm em comum a produção de videoarte em suas reflexões sobre questões cotidianas ligadas à política, gênero e amor. Os trabalhos podem ser vistos gratuitamente até o dia 26 de julho.

"A gente queria fazer uma exposição com vídeos, que têm uma liberdade maior, tanto formal quanto conceitual para abordar temas políticos do cotidiano", afirma Danillo Villa ao relatar que a partir deste contexto começou uma pesquisa para descobrir quem produziu vídeos na arte brasileira. "Alguns artistas convidados já passaram pela Divisão de Artes Plásticas em outros momentos. O critério de seleção foi ver quem está produzindo vídeos hoje. Na exposição tem alguns artistas que são historicamente importantes como o Paulo Bruscky [artista pernambucano multimídia e poeta conhecido por sua ampla participação no movimento da arte conceitual brasileira] e Rivane Neuenschwander [artista visual mineira reconhecida internacionalmente]", exemplifica.

Dentre as várias temáticas abordadas pelos artistas convidados, Villa cita alguns trabalhos. "A Aline Dias e a Julia Amaral fizeram um filme de uma hora e cinquenta minutos que tenta criar um casamento entre Clarice Lispector Georges Bataille. O Paulo Bruscky sugere uma viagem dentro de uma paisagem de um outro artista que é o René Magritte. A Rivane Neuenschwander trabalha com o abecedário da língua dos sinais e a palavra que ela usa em francês ativa uma experiência física corpórea e erotizada. Ela coloca um dado delicado que é a língua em francesa para mostrar uma potência erótica do corpo", salienta o curador.

Os vídeos que integram a mostra são reproduzidos em looping, ou seja, voltam a ser reproduzidos quando chegam ao fim. "Isso permite que as pessoas fiquem assistindo os trabalhos durante o tempo que desejarem. Na exposição, os trabalhos são projetados na parede ou reproduzidos em monitores de TV", descreve.

Integram a exposição trabalhos de Aline Dias e Julia Amaral (O casamento de Clarice e Bataille, de 2017); Berna Reale (Rosa Púrpura, de 2014); Brígida Baltar (Em uma árvore, em uma tarde, de 2000); Dora Longo Bahia (Interview with a cat and two dogs, 1970-2005); Gabi Vanzeta (Razão social, de 2010); Graziela Kunsch (Túnel Av. Paulista – Dr. Arnaldo, de 2014); Lucas Costa (Sem título); Paulo Bruscky (Viagem numa Paisagem de Magritte II, de 1979); Rafaela Foz (Digressão, de 2017) e Rivane Neuenschwander (Erotisme, de 2014).

Serviço:
Exposição "Fiz um vídeo pra que você entenda de uma vez por todas"

Quando – Abertura nesta terça-feira (12), às 19h30. A mostra permanece aberta até o dia 26 de julho, com visitas de segunda a sexta, das 9 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Visitas mediadas gratuitas podem ser agendadas pelo telefone (43) 3322 6844
Onde – Divisão de Artes Plásticas da UEL (Av. J.K., 1973)
Gratuito


Continue lendo


Últimas notícias