Celso Mattos
De Londrina
Especial para a Folha2
A carreira da atriz Juliette Lewis sempre caminhou em direção oposta. Mesmo sem a beleza e o glamour das grandes estrelas de Hollywood, como Gwyneth Paltrow, Cameron Diaz e Julia Roberts, ela construiu uma carreira sólida, atuando em filmes polêmicos como ‘‘Assassinos por Natureza’’, e ‘‘Kalifornia’’. A indicação ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por seu trabalho em ‘‘Cabo do Medo’’, não mudou sua trajetória artística, que permanceu à margem de Hollywood.
Depois de quatro anos longe das telas – devido à dependência de drogas –, ela volta em ‘‘Simples como Amar’’, no qual faz o papel de uma deficiente mental. Sob a direção de Garry Marshall (o mesmo de ‘‘Uma Linda Mulher’’), Juliette Lewis interpreta Carla Tate, a filha limítrofe de Diane Keaton e Tom Skerritt. Sufocada pela incompreensão da mãe, Carla passou boa parte de sua adolescência numa instituição.
Garry Marshall acompanha o processo do retorno e a readaptação familiar da protagonista e seu envolvimento amoroso com Danny, interpretado pelo ator Giovanni Ribisi, de ‘‘O Resgate do Soldado Ryan’’, que também é portador de deficiência mental.
Ao contrário de outros filmes sobre portadores de deficiência mental, ‘‘Simples como Amar’’ aposta no bom humor, deixando de lado a pieguice. A produção é acima de tudo uma comédia romântica sensível e divertida. Mesmo assim, não deixa de cair no clichê de que o amor supera todas as expectativas e preconceitos. Mas tudo bem, é um deslize perdoável. Afinal, é um filme de Garry Marhall, que adora um conto de fadas.
‘‘Simples como Amar’’ emociona e encanta, principalmente pela interpretação carismática dos protagonistas. Juliette Lewis que sempre se considerou uma alienígena social, disse em entrevista na época do lançamento do filme que se identificou muito com a sua personagem. ‘‘Como eu, Carla Tate é uma garota em busca de oportunidades e que encara a vida com muita intensidade’’. Em seu próximo trabalho, a atriz vai interpretar uma decoradora em ‘‘O Quarto Andar’’ no qual contracena como William Hurt. Lançamento da Buena Vista. Duração: 130 minutos.

Mais lançamentos

Divulgação

Danny DeVitto e Holly Hunter: superando decepções
Volta por Cima
Como o próprio título sugere, trata-se de mais um daqueles filmes que fala sobre pessoas que sofrem decepções mas conseguem dar a ‘‘Volta por Cima’’. Mas as semelhanças param por aí. Essa discreta produção, dirigida pelo desconhecido Richard LaGravenese, tem no elenco Holly Hunter, ganhadora do Oscar de Melhor Atriz em ‘‘O Piano’’ e o sempre divertido e competente Danny DeVito. O filme é todo embalado por canções de jazz, cantadas por Queen Latifah. Depois de ser trocada pelo marido, Judith Nelson (Holly Hunter) tenta descobrir um jeito diferente de viver a vida. Sai a procura de emoções, procura garotos de programas nos classificados de jornais, mas tudo parece tão vazio quanto seu casamento.
É quando ela conhece Pat, o ascensorista de seu prédio, interpretado por DeVitto e Liz, a cantora de jazz. Os três têm o mesmo problema: procuram um sentido para a vida. Juntos, eles descobrem razões para seguir em frente, com energia, bom humor e muita imaginação. Lançamento da Warner Home Vídeo. Duração: 100 minutos.

Tá chegando
‘‘Um Lugar Chamado Notting Hill’’, com Julia Roberts e Hugh Grant.
‘‘Um Amor Verdadeiro’’, com Meryl Streep e William Hurt
‘‘O Grande Lebowski’’, com Jeff Bridges e John Goodman
‘‘American Pie’’, com Jason Biggs e Shannon Elizabeth
‘‘Instinto’’, com Anthony Hopkins e Cuba Gooding Jr.
Resultado do sorteio
Chega ao fim mais um sorteio da Coluna de Vídeo. Desta vez, todos os participantes acertaram a reposta: Keanu Reeves (alternativa C), é o ator que interpreta o papel principal em ‘‘Matrix’’. No total, foram recebidas 421 cartas de 63 cidades. A ganhadora do filme e do CD foi Sueli Keiko H. Sudo, de Londrina A Folha de Londrina/Folha Paraná agradece a todos os participantes. Em breve estaremos fazendo mais um sorteio. Fique de olho na Coluna de Vídeo, publicada sempre às terças-feiras.