Agência Folha
A Rede Globo põe no ar a partir de hoje às 22h a minissérie ‘‘A Muralha’’. Baseada no livro homônimo de Dinah Silveira de Queiroz, a superprodução, que terá 49 capítulos, consumiu cerca de R$ 11 milhões. Nem por isso a minissérie será glamourosa. Os índios aparecem seminus, sem plumagens exuberantes, e os bandeirantes surgem na tela da emissora como figuras sujas, rudes, cruéis e violentas.
Como definiu o próprio Daniel Filho, diretor de criação da Globo, os personagens e o teor da obra são pouco comuns na dramaturgia da Globo.
‘‘Não estamos retratando os bandeirantes como heróis e os índios como vilões. Os personagens são complexos.’’
A minissérie, parte da programação da Globo para comemorar os 500 anos do Descobrimento, conta a história de imigrantes portugueses que vieram para um país praticamente virgem e começaram a explorá-lo. A maioria das gravações foi feita ao ar livre. As aldeias de índios foram construídas com o auxílio de alguns caciques, e a principal cidade cenográfica, a Vila de São Paulo, foi reproduzida com os materiais originais: sem pedras, usando apenas barro e madeira. No elenco, ‘‘A Muralha’’ traz Tarcísio Meira, Leonardo Brício, Alexandre Borges, Paulo José, Stênio Garcia, Matheus Nachtergaele, Mauro Mendonça e um time de mulheres bonitas, como Claudia Ohana, Alessandra Negrini e Letícia Sabatella.