Lendo os contos de Dalton Trevisan, a jornalista e fotógrafa Patrícia Stavis começou a perceber uma Curitiba que não é a que se vê ou onde a gente vive. A Curitiba de 50 atrás que parece não estar mais aqui é o tema da exposição ‘‘Curitiba Sem Retoques’’, que inaugura hoje, no hall do 2º andar da Biblioteca Pública do Paraná.
‘‘Andando pelo centro e por bairros não muito afastados, encontrei pessoas que moram na mesma casa há mais de 50 anos ou desde que nasceram. Os vizinhos mais próximos ficavam a mais de um quilômetro de distância e isso aqui, no Alto da XV’’, surpreende-se.
As casas tinham quintais com riachos no fundo, eram grandes, com varandas, muitas vezes sem muros. ‘‘Resolvi fazer uma história com isso. Mostrar a Curitiba que é real e que é a do escritor Dalton Trevisan. A cidade não se transformou numa era de arame, em algo que não diz nada, meio sem sentido. A nossa história, cultura e tradição não são mostradas’’, argumenta.
Segundo a fotógrafa, basta procurar, prestar mais atenção e sair da rota turística para perceber uma cidade que não aquela cenográfica vendida pelo marketing político, ou a cidade da ‘‘era de arame’’. ‘‘Nós temos uma história. Não podemos deixar essa cultura se perder. Claro que vivemos do presente e do futuro mas principalmente do passado, que tem um peso muito grande em tudo o que somos’’, reconhece.
Para essa exposição Patrícia selecionou 21 fotos das mais de 200 que revelou, algumas em cor, outras em preto-e-branco. As principais foram feitas nas praças Tiradentes e Osório e no bairro Alto da XV. ‘‘Esse trabalho foi também tema do projeto de final de curso de Jornalismo e no període entre agosto e dezembro do ano passado, eu andava de máquina na mão o tempo todo’’, conta.
‘‘Curitiba Sem Retoques’’ enfoca, principalmente, dois textos de Dalton Trevisan: ‘‘Em Busca de Curitiba Perdida’’ (do livro homônimo) e ‘‘Curitiba Revisitada’’ (do livro ‘‘Dinorᒒ). O primeiro, publicado em 1992, apresenta duas curitibas, a das obras do escritor e a de pinheiros e de céu azul. O segundo, escrito em ‘‘comemoração’’ aos 300 anos de Curitiba, é um crítica à cidade da propaganda.
• Exposição de fotografias ‘‘Curitiba Sem Retoques’’, de Patrícia Stavis, baseada em obras de Dalton Trevisan. De hoje ao dia 31, de segunda a sexta-feira, das 8 às 20 horas, no hall do 2º andar da Biblioteca Pública do Paraná (Rua Cândido Lopes, 133), em Curitiba. Entrada franca.