Porto Alegre, 07 (AE) - Quase dois meses após levar um soco do atacante Darzoni, do Santo Angelo, sofrer edema cerebral e entrar em coma, o zagueiro Régis, do Caxias, voltou a falar. "Quero muito, muito, muito voltar a jogar", respondeu hoje, repetindo três vezes a palavra "muito", ao ser perguntado sobre a perspectiva de retornar ao futebol.
"Estou me preparando para isso (retornar à profissão)", afirmou, pronunciando vagarosamente as palavras e demonstrando as dificuldades iniciais de reapropriação da fala. "Estou me recuperando bem", agregou, em entrevista por telefone. "Ele só emitia ruídos mas, no sábado, voltou a falar e mãe foi a primeira palavra que disse", descreveu sua mãe, Marion da Rosa, 44 anos.
"O Régis ainda enrola algumas palavras mas até os médicos estão surpresos com a rapidez da recuperação", contou seu irmão
Rafael, de 16 anos. "Depois de falar mãe, ele disse pai e Rafa, o apelido do Rafael", relembrou Marion.
Mas o zagueiro de 21 anos fez outros progressos. "Nesta semana, ele começou a caminhar sozinho, sem se apoiar em ninguém como fazia antes", informou o irmão. "São trechos curtos porque sua musculatura ainda está fraca", relatou o fisioterapeuta Marcos Patella, que acompanha o jogador, depois que Régis deixou o hospital Medianeira, de Caxias do Sul, no final de dezembro, e foi para a casa dos pais, em Gravataí/RS. "O problema maior que meu irmão tinha era com o equilíbrio que agora está reencontrando", observou Rafael.
"O Régis evoluiu em um mês aquilo que poderia levar três meses", opinou o fisioterapeuta. "Ele tem uma força de vontade muito grande", reparou. "E se ajuda muito", reforçou Marion. Na próxima semana, o jogador passará a fazer duas sessões diárias de fisioterapia.
Hoje o médico do Caxias, Aloir de Oliveira, que cuida do caso pelo clube, não foi localizado para fazer sua avaliação. Mas, segundo a família do jogador, Oliveira também se surpreendeu com os avanços dos últimos dias. "Ele ficou encantado com a recuperação do Régis", interpretou a mãe do zagueiro. A assessoria de imprensa do Caxias informou que o clube renovou o contrato do jogador por mais um ano.
A agressão aconteceu na partida entre Santo Angelo e Caxias, no dia 13 de novembro, em Santo Angelo, jogo válido pela Copa Mais Fácil.
No final da partida, que estava empatada em 1x1, Darzoni aproveitou-se da cobrança de um escanteio para esmurrar adversário. Aproximou-se por trás do zagueiro e, fora da disputa de bola, desferiu um soco no lado direito do rosto de Régis. O jogador do Caxias caiu em convulsões e logo entrou em coma. Foi conduzido ao hospital de Santo Angelo e, no dia seguinte, transferido em uma UTI aérea para Caxias do Sul.
"Até hoje, o Régis não sabe o que lhe aconteceu", comentou Marion.
O agressor foi punido com 29 dias de suspensão do futebol pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF). Na Justiça comum, deverá responder a processo tanto no crime quanto no cível.