RIO GRANDE DO SUL Zagueiro do Inter é acusado de agressão Agênca Sport Press De São Paulo Mesmo após a confusão entre os jogadores do Juventude e do Internacional no amistoso de quinta-feira, o volante Marcão não consegue esquecer a agressão que sofreu do zagueiro Espínola do colorado. A Justiça tarda, mas a vingança não falha. ‘‘Ele foi mal intencionado, sem motivo nenhum’’, acusa Marcão. Para o volante, o caráter de Espínola pode ser julgado por atos do passado. ‘‘O Espínola já fez a mesma coisa com o Rodrigo Gral na decisão do Campeonato Gaúcho de 1998. ‘‘Ele é um covarde’’, xinga Marcão. Os dois jogadores conversaram por intermédio de uma rádio de Porto Alegre e prometeram voltar a se falar por telefone. O zagueiro Espínola teve que dar satisfações ao coordenador técnico do Internacional, João Paulo Medina, sobre a agressão ao volante Marcão. O zagueiro colorado procurou se defender. ‘‘Trocamos empurrões e para me afastar acabei, sem querer, acertando o rosto dele. Aí começou a confusão. Fiquei assustado e parado. Foi uma pena o que aconteceu’’, justifica Espínola. Sobre a suposta agressão ao atacante Rodrigo Gral na final do Campeonato Gaúcho de 1998, Espínola desconversou. ‘‘Não me lembro mais disso’’, conta o zagueiro.