Vôlei: CBV define calendário até 31 de julho2/Mar, 17:34 São Paulo, 02 (AE) - A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) promete definir os calendários do esporte para as temporadas 2000/2001 e 2001/2002 até o dia 31 de julho. O objetivo da entidade é facilitar o planejamento das empresas que investem no vôlei e, principalmente, as negociações com a TV Globo, que poderia transmitir jogos da Superliga. A TV Globo é parceira da CBV na organização do Campeonato Mundial Feminino de 2002, que está previsto para o Brasil. "A emissora tem todo o interesse em fortalecer a imagem do vôlei, tanto no clube como na seleção", diz Leonardo Griner, da LG Ventura, agência oficial de marketing da Superliga. "Por enquanto estamos apenas conversando e, em breve, deveremos entrar em negociações." O assunto, segundo Griner, vem sendo discutido na Comissão de TV e Marketing da Superliga e voltou à tona depois das críticas feitas pelo gerente da Gessy Lever (do time do Rexona), Luiz Felipe Vaz, descontente com as transmissões pela CNT/Gazeta. "Temos conversado e vários obstáculos já foram superados para abrirmos negociação com a Globo", lembra Griner. "Até mesmo o nome dos patrocinadores os clubes decidiram tirar da denominação das equipes, que passariam a ser chamados pela cidade, por exemplo, onde jogam." Rexona - A Gessy Lever distribuiu hoje nota oficial em que confirma a continuidade do patrocínio ao time do Rexona e do Centro de Excelência de Vôlei, mantido em parceria com o governo do Paraná. O gerente de Marketing da empresa, Alexandre Bouza, desautorizou as declarações dadas no início da semana pelo gerente de Marketing Esportivo Luiz Felipe Vaz, que garantiu que a Gessy Lever estava reavaliando o projeto por estar descontente com o retorno dado na Superliga. "A empresa continua acreditando na parceria de sucesso que resultou no Projeto Rexona", afirma o gerente. O time do Rexona, comandado pelo técnico Bernardinho e pela levantadora Fernanda Venturini, é um dos principais favoritos ao título da Superliga Feminina. Suspensão - O atacante Rogerião, ex-Banespa, Lupo e Ulbra, foi suspenso pelo resto da vida do esporte pela Federação Argentina de Vôlei por ter agredido o árbitro José Cruz González. Rogerião de 25 anos, defendia o Regatas de Resistência.