|
  • Bitcoin 121.615
  • Dólar 5,0547
  • Euro 5,2170
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 24/07/2022, 12:39

Verstappen aproveita erro de Leclerc, vence GP da França e aumenta vantagem

PUBLICAÇÃO
domingo, 24 de julho de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Max Verstappen venceu neste domingo (24) o GP da França e aumentou de 48 para 63 pontos sua vantagem na liderança da tabela de classificação da temporada 2022 da Fórmula 1. O piloto da Red Bull largou na segunda posição, mas assumiu a ponta depois da 18ª volta, quando o pole position Charles Leclerc foi direto na barreira de pneus do circuito Paul Ricard e abandonou a prova. É a sétima vitória do holandês em 12 provas no ano.

Em sua corrida de número 300 na carreira, o inglês Lewis Hamilton terminou na segunda posição depois de um bom início. A Mercedes completou o pódio com George Russell numa ultrapassagem sobre Sérgio Perez (Red Bull) a três voltas do fim depois do safety car virtual. Carlos Sainz (Ferrari) foi o quinto colocado e um dos destaques da prova, porque largou em 19º. O espanhol foi eleito como piloto do dia.

A próxima etapa da F1 é no domingo que vem, na Hungria.

Boa largada de Leclerc

Verstappen bem que tentou fazer pressão sobre o pole position Charles Leclerc na largada do GP da França, mas o monegasco segurou a primeira posição com muita velocidade e um bom começo de prova. O piloto da Ferrari chegou a abrir quase 1s de vantagem sobre o da Red Bull, mas o tempo foi diminuindo nas voltas seguintes e a emoção aumentando. Via rádio, a Red Bull pediu para o sempre agressivo Verstappen não atacar de qualquer forma.

Daí, a disputa pela primeira posição virou quase um jogo de xadrez. Verstappen colou em Leclerc numa diferença de tempo que não passava de meio segundo, mas se deparou várias vezes com falta de pista para fazer a ultrapassagem, como na curva 11.

Acidente e ultrapassagens

Logo na primeira volta, Esteban Ocon perdeu o controle de seu carro ao passar por cima da zebra e tocou na traseira da AlphaTauri de Yuki Tsunoda. O japonês rodou na pista, o que gerou bandeira amarela. Tsunoda tinha largado em oitavo e voltou à prova depois da rodada na última posição. Ocon tomou cinco segundos de penalização em seu resultado final na prova.

O começo da prova foi ruim para Tsunoda, mas muito bom para outros pilotos. Lewis Hamilton, por exemplo, logo depois da largada tomou a terceira posição de Sérgio Perez e abriu boa vantagem. Já Fernando Alonso foi do sétimo lugar para o quinto ao ultrapassar George Russell e Lando Norris. Antes da décima volta, Russel retomou a quinta posição para brigar com Perez pela quarta. Apesar dos pesares, um bom começo de prova dos carros da Mercedes.

Por onde anda o Sainz?

Cumprindo punição no grid por causa de descumprimento de regra por parte Ferrari no GP da Áustria, Carlos Sainz largou na 19ª posição na França. Ele começou embolado com os últimos colocados, ainda mais pelo acidente com Yuki Tsunoda, mas depois disparou. Dois momentos ganharam destaque na transmissão oficial: Sainz dizendo via rádio que não achava seu ritmo bom; e a difícil ultrapassagem sobre Lance Stroll que rendeu a décima posição depois de 13 voltas.

Leclerc abandona a prova

Depois de algumas tentativas de ultrapassagem, Verstappen decidiu cuidar dos pneus e evitar ataques. Ele partiu para os boxes para colocar pneus duros com 2s4 de tempo de parada e voltou na sétima posição, atrás de Lando Norris. O que ninguém esperava é que instantes depois disso, em meio às estratégias da Red Bull para voltar a brigar pela liderança, Leclerc fosse facilitar o caminho.

O piloto da Ferrari bateu na volta 18 e abandonou a prova que liderava com autoridade. O incidente ocorreu porque o monegasco foi reto na volta 18, sozinho e sem problemas aparentes no carro além do desgaste dos pneus. Leclerc perdeu a traseira e foi direto na barreira de pneus. Via rádio, ele ensaiou reclamar de um problema no acelerador, mas logo deu espaço para a lamentação com um grito forte de raiva. O GP da França teve bandeira amarela e safety car, com todos os outros carros nos boxes.

Verstappen enfim na frente

Como todo mundo foi para os boxes e Verstappen tinha acabado de ir, o piloto da Red Bull assumiu a liderança do GP da França após a bandeira verde. A partir daí, a corrida ficou à sua feição e os números de voltas mais rápidas empilhadas provam a tese. O holandês chegou a abrir larga vantagem sobre Hamilton, também confortável à frente de Sérgio Perez. Emoção? Mais para trás.

Sainz ultrapassa. E é punido

Com pneus médios e foco total da Ferrari, Carlos Sainz se destacou após a bandeira verde. Ultrapassou Daniel Ricciardo para chegar ao sétimo lugar e depois Lando Norris para ficar em sexto e Fernando Alonso para se firmar na quinta posição. Antes que ameaçasse o quarto lugar de George Russell, o problema: cinco segundos de punição após investigação da FIA por causa de uma saída insegura do pit-stop.

Não era dia da Ferrari, mas Sainz ainda passou o piloto da Mercedes para brigar com Perez pelo pódio porque não havia mais o que perder. Na volta 42, o espanhol atacou e conseguiu a ultrapassagem. Logo depois, foi para os boxes pagar a punição e trocar pneus, mas voltou em nono lugar.

A manobra de Sainz sobre Perez fez George Russell colar no mexicano. Os dois tocaram e Perez saiu da pista dizendo ter sido empurrado por Russell. O inglês também reclamou da postura do piloto da Red Bull, numa polêmica que agitou a reta final da prova que Max Verstappen liderava com tranquilidade. Depois de tudo mais calmo, as ultrapassagens e tentativas de ultrapassagem em busca do pódio chamaram atenção.

Sainz logo se firmou em quinto, enquanto Perez tentava segurar a terceira posição da perseguição de Russell. A quatro voltas do fim, bandeira amarela nos setores 1 e 2, porque Zhou Guanyu parou fora da pista e precisou abandonar. Houve alguma expectativa pela entrada do safety car, mas só o virtual foi acionado e já puxaram o carro do chinês para fora. Após a bandeira verde, Russell notou a lentidão de Perez, atacou e conseguiu tirar do inglês a terceira posição, que defendeu até a bandeira final.

Classificação final do GP da França:

1º - Max Verstappen (HOL/Red Bull)

2º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes)

3º - George Russell (ING/Mercedes)

4º - Sérgio Perez (MEX/Red Bull)

5º - Carlos Sainz (ESP/Ferrari)

6º - Fernando Alonso (ESP/Alpine)

7º - Lando Norris (ING/McLaren)

8º - Esteban Ocon (FRA/Alpine)

9º - Daniel Ricciardo (AUS/McLaren)

10º - Lance Stroll (CAN/Aston Martin)

11º - Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin)

12º - Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri)

13º - Alexander Albon (TAI/Williams)

14º - Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo)

15º - Mick Schumacher (ALE/Haas)

16º - Zhou Guanyu (CHN/Alfa Romeo)

Não completou - Charles Leclerc (MON/Ferrari)

Não completou - Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri)

Não completou - Nicholas Latifi (CAN/Williams)

Não completou - Kevin Magnussen (DIN/Haas)