Agência Estado
De Bobo Dioulasso, Burkina Faso
O rali Paris-Dacar-Cairo está vivendo dias de muita velocidade. Foi assim ontem, entre Bamako (Mali) e Bobo Dioulasso (Burkina Faso). E será assim hoje, na quinta etapa, que termina em Ouagadougou, capital de Burkina, após 762 quilômetros. Os líderes continuam os mesmos e os brasileiros seguem todos na prova após um dia em que as médias de velocidade foram altíssimas.
Na categoria Carros, o japonês Kenjiro Shinozuka, campeão em 97 e atual líder da prova, acha que foi a ‘especial’ mais rápida da história do Dacar. Segundo ele, sua média foi de 120 km/h, com máxima de 160 km/h. Shinozuka fez o oitavo tempo ontem, mas tem cinco minutos de vantagem sobre o francês Jean Pierre Fontenay, segundo no geral. Ambos são do time oficial da Mitsubishi. A vencedora ontem foi a alemã Jutta Kleinschmidt, da mesma equipe, que fez os 286 quilômetros em 2h20min45.
Kléver Kolberg (BR/Lubrax), que também corre de Mitsubishi mas não pela equipe oficial, fez o 21º tempo (terceiro na categoria Maratona): 2h41min25, e está em 27º no geral. Cacá Clauset e Amir Klink, da equipe Troller fizeram o 57º tempo e estão em 89º no geral. Outros resultados: Reinaldo Varella e Alberto Fadigatti: 90º no dia e 67º no geral; Marcos Ermírio de Moraes e Roberto Macedo: 115º e 118º no geral; e Arnoldo Silveira e Gabriel Galdino (48º e 54º no geral).
Nas motos, Juca Bala fez o 24º tempo (3h06min47) com sua KTM, sendo sexto na Maratona, e está em 22º no geral. O líder é espanhol Juan Roma, também de KTM, que venceu ontem com 2h27min39.
O ponto negativo da participação brasileira foi o caminhão Tatra de André Azevedo, que teve pane elétrica e fez apenas o nono melhor tempo: 3h19min39, contra 3h02min55 do líder Kamaz, da Rússia. No geral, André caiu da terceira para a quinta posição.