Vasco da Gama põe fim à ‘era Lopes’ Demissão de Lopes, segundo Eurico Miranda, foi para poupá-lo da pressão da torcida Arquivo Folha‘SINA DE VICE’Parreira, que foi demitido pelo Fluminense, está na mira dos dirigentes do Vasco da Gama das agências De São Paulo Depois de três anos e quatro meses, o técnico Antônio Lopes foi demitido ontem à tarde pela diretoria do Vasco. A decisão foi tomada durante uma reunião do treinador com o vice-presidente do clube carioca, Eurico Miranda. ‘‘O Lopes fez um belo trabalho durante esse período aqui no Vasco, mas decidimos poupá-lo da pressão que a torcida estava fazendo’’, afirmou Miranda. Anteontem, o Vasco foi goleado pelo Palmeiras, por 4 a 0, no Morumbi, na decisão do Torneio Rio-São Paulo. Foi a terceira final perdida pelo Vasco sob o comando de Lopes em menos de um ano. Antes o time havia chegado ao vice-campeonato estadual do Rio, no primeiro semestre do ano passado, e ficou em segundo lugar no primeiro Mundial de Clubes da Fifa, em janeiro. ‘‘Estou feliz por tudo que fiz aqui no clube’’, disse Lopes, abatido. Apesar de ter definido a saída de Lopes, Miranda não anunciou o nome do outro treinador. ‘‘Não tenho pressa. A escolha não precisa ser imediata’’, disse o dirigente. Carlos Alberto Parreira, ex-técnico da Seleção Brasileira, e Luiz Felipe Scolari, do Palmeiras, são os mais cotados para a vaga. Scolari quer sair – A conquista do Torneio Rio-São Paulo pelo Palmeiras, com a goleada sobre o Vasco por 4 a 0, quarta-feira, no Morumbi, não mudam os planos do técnico Luiz Felipe Scolari, que continua pensando na possibilidade deixar o Alviverde no meio do ano para trabalhar no futebol europeu. O contrato do treinador com o time paulista termina no fim do ano, mas Scolari pode rescindi-lo em junho, caso receba alguma proposta do exterior. Mesmo no clima de festa, após a vitória sobre o time carioca, o treinador não afastou a hipótese de deixar o Palmeiras antes do tempo. ‘‘Geralmente, no meio do ano, os clubes europeus vão atrás de treinadores, por isso espero que surjam convites para me contratar’’, disse Scolari, que ressaltou não ter interesse no momento em trocar o Alviverde por algum outro clube do futebol brasileiro. ‘‘Se realmente eu receber alguma proposta da Europa, vou levar ao conhecimento da diretoria do Palmeiras e da Parmalat, para depois negociar minha transferência.’’ Scolari, que já esteve no Kwait e no Japão, sonha em dirigir algum clube da Espanha. O treinador está até fazendo um curso de espanhol. Mas ele também aceitaria estudar a possibilidade para trabalhar na Itália. Segundo o treinador, a multa na rescisão do contrato não deverá ser problema. Mas o treinador deixou claro que se não receber nenhuma proposta da Europa, ele pretende cumprir seu contrato até o fim do ano. Scolari revelou que os seus salários são pagos da seguinte forma: 50% pelo Palmeiras e a outra metade, quem paga é a multinacional. ‘‘Quero deixar bem claro que estou satisfeito no Palmeiras, mas trabalhar na Europa é um antigo sonho.’’