SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mais um time que já levantou a taça de campeão brasileiro será rebaixado na última rodada do torneio nacional, na próxima quarta-feira (6), com todos os jogos marcados para as 21h30.

O Coritiba, vencedor da competição em 1985, está na penúltima colocação e carimbou antecipadamente seu passaporte para a Série B. Também já caíram América-MG e Goiás. Resta uma indesejável vaga na segunda divisão --onde permaneceram Sport e Guarani, também campeões nacionais.

Ela ficará com Bahia, Vasco ou Santos, times que somam 14 títulos do Campeonato Brasileiro. Já não estão sob risco Corinthians e Cruzeiro, que só se livraram matematicamente da possibilidade de queda na rodada do último final de semana.

Bahia precisa vencer Atlético Mineiro e torcer

Campeão da Taça Brasil em 1959 e do Brasileiro em 1988, o Bahia tem a tarefa considerada mais difícil na tentativa de sobreviver.

Segundo cálculos do Departamento de Matemática da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), que levam em conta o histórico de vitórias, derrotas e empates de cada time no torneio, o tricolor baiano tem 68,9% de probabilidade de ser rebaixado.

Com 41 pontos e na 17ª colocação, a primeira das equipes que compõem a zona da degola, o Bahia tem pela frente na última rodada o Atlético Mineiro, vice-líder e na luta por vaga direta na fase de grupos da Copa Libertadores. O jogo será na Fonte Nova, em Salvador.

A equipe tricolor precisa vencer e torcer para que Santos ou Vasco não vença. Em caso de empate, terá de contar com uma derrota do Vasco. Se perder, estará rebaixada.

A situação seria melhor se o time tivesse cumprido seu papel e derrotado o lanterna América-MG, no domingo (3), mas a rebaixada formação mineira venceu por 3 a 2.

"O torcedor logicamente fica envergonhado com o resultado, assim como a gente. Temos que tentar reunir forças para quarta-feira, o campeonato não acabou", afirmou o técnico Ceni, que chegou ao cargo em setembro, substituindo o português Renato Paiva, quando a equipe estava na 16ª posição.

Vasco luta contra o quinto rebaixamento da história

Tetracampeão brasileiro (1974, 1989, 1997 e 2000), o Vasco é o segundo com maior risco de voltar a disputar a Série B, com 24,9% de probabilidade, segundo as contas da UFMG.

O time cruzmaltino enfrentará em casa o Red Bull Bragantino e permanecerá em caso de vitória. Se empatar, só ficará na Série A caso o Bahia não vença ou o Santos perca.

Para o confronto decisivo, os jogadores do Vasco vão ter o apoio da torcida, reforço com o qual não pôde contar durante boa parte do torneio.

O estádio de São Januário foi interditado em 22 de junho, após a derrota para o Goiás, em jogo marcado por arremessos de objetos no gramado e confronto de torcedores com a polícia.

O reencontro com a massa veio três meses depois, em 21 de setembro, quando a formação comandada por Ramón Díaz aplicou uma goleada de 5 a 1 em cima do Coritiba.

A equipe conquistou apenas um ponto nas últimas três rodadas e vem de derrotas para Corinthians (4 a 2) e Grêmio (1 a 0).

"Agradou-me como o Vasco competiu contra uma grande equipe", afirmou Díaz, sobre o revés na Arena do Grêmio. "O Vasco não foi superado taticamente nem fisicamente. Por todo o esforço, merecemos não cair. A equipe está bem fisicamente, vamos lutar até o fim."

O Vasco já foi rebaixado em quatro oportunidades --2008, 2013, 2015 e 2020--, tendo conquistado o acesso de volta à primeira divisão ao terminar na quarta posição a Série B em 2022.

Santos tenta evitar o desastre em sua pior fase

Também dependendo apenas de si para garantir-se na série A, o Santos tem apenas 6,2% de risco de cair, apontam os matemáticos da UFMG.

Para se livrar sem depender de outros resultados, o time da Vila Belmiro --considerado campeão nacional por seus títulos na Taça Brasil (1961, 1962, 1963 , 1964, 1965), no Robertão (1968) e no Brasileiro (2002 e 2004)-- precisa vencer em casa o Fortaleza, que o derrotou por 4 a 0 na partida do primeiro turno.

Se não vencer, poderá ser ultrapassado por Vasco e Bahia. Em caso de igualdade no número de pontos com um dos concorrentes, a formação praiana perde no desempate em qualquer cenário.

Após alguma demonstração de fôlego, o Santos vem de quatro partidas sem vitória. Empatou com São Paulo e Botafogo e, nas duas últimas rodadas, perdeu por 3 a 0 para Fluminense e Athletico Paranaense.

"Ninguém esperava que o Santos fosse chegar à última rodada dependendo de si. Todo o mundo já tinha enterrado o Santos", afirmou o técnico Marcelo Fernandes, após a derrota mais recente. "Pode ter certeza de que a gente vai dar a vida e o Santos não vai cair."