|
  • Bitcoin 150.035
  • Dólar 5,0617
  • Euro 5,2708
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 28/02/2022, 11:51

Ucranianos campeões mundiais de boxe se juntam à luta armada contra invasão

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

MACEIÓ, AL (UOL/FOLHAPRESS) - O bicampeão olímpico ucraniano Vasiliy Lomachenko, 34, anunciou em sua página nas redes sociais que estava se juntando à luta armada contra a invasão da Rússia. De acordo com a imprensa internacional, ele estava na Grécia quando houve o começo da invasão, mas pegou um avião até a Romênia e depois seguiu por terra para entrar em seu país.

Em seu post, Lomachenko escreveu: "O Batalhão de Defesa Territorial Belgorod-Dnestrovsky foi formado e armado. Na defesa territorial, o pugilista Vasily Lomachenko com o prefeito Vitaly Grazhdan".

Essa mesma atitude também foi tomada pelo boxeador Oleksandr Usyk, 35, que estava em Londres. Ele havia vencido o britânico Anthony Joshua em setembro, sendo campeão mundial em duas categorias, e decidiu ir ao país assim que a invasão começou. Nas redes sociais, ele havia sido criticado antes de tomar a atitude, mas ele rebateu os comentários.

"Querida Ucrânia e queridos ucranianos, alguns escreveram sobre minha fuga. Não é verdade. Fiz uma viagem de trabalho e agora estou de volta. Estou em casa. Amigos, precisamos nos unir e superar isso, porque estamos diante de dificuldades excepcionais. Estou muito emocionado e muito preocupado com meu país e nosso povo. Amigos, devemos parar esta guerra e devemos fazê-lo juntos", disse ele em um vídeo postado nas redes sociais.

Além deles, o ex-campeão e prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, de 50 anos, também se dispôs a estar na linha de frente.