Torcida cobra empenho de Luizão12/Mar, 15:49 São Paulo, 12 (AE) - A "turma do amendoim" não é exclusividade do Palmeiras. No Corinthians, eles também são exigentes e estão, ultimamente, perseguindo Luizão. "São torcedores que não deixam nenhum atleta jogar com tranquilidade", definiu o atacante. Desde o início do Campeonato Paulista, Luizão não tem paz com essa agitada facção da torcida corintiana. Na estréia da equipe na competição, semana passada, diante da Internacional, no Canindé, o jogador, visivelmente cansado após um animado carnaval no Rio, foi criticado pelo péssimo desempenho em campo. Luizão havia faltado ao treino na véspera da partida. A história repetiu-se ontem, no interior, apesar dos dois gols feitos pelo atacante na goleada por 5 a 2 sobre o Mogi Mirim. "Nunca havia passado por uma situação igual a essa em outros clubes", afirmou Luizão. "Talvez esses corintianos estejam querendo o Ronaldinho." O atacante, revoltado com o comportamento do público, ressaltou que, se não fosse um profissional experiente, não suportaria a pressão. "É horrível pegar na bola e ser xingado o tempo todo." Luizão isentou a torcida Gaviões da Fiel pelas críticas recebidas. O atacante recebeu o apoio de seus companheiros, principalmente do meia Marcelinho, que também fez dois gols diante do Mogi. Marcelinho, por sinal, pretende acertar a sua situação financeira com o clube nos próximos dias. "Já recebi os 15% que tenho direito pela compra do meu passe pela Hicks Muse; agora só espero a prorrogação do meu contrato", explicou o jogador. Marcelinho garantiu estar mais tranquilo para ajudar o Corinthians na Taça Libertadores. Na terça-feira, os brasileiros vão enfrentar o Olímpia, em Assunção. Os paraguaios lideram o Grupo 3, com 6 pontos. Os corintianos têm 3. No fim de semana, a equipe terá outro difícil desafio, desta vez pelo Paulista, contra o Santos. Marcelinho já defende um rodízio de atletas, para evitar o desgate físico do grupo. O técnico Oswaldo de Oliveira concorda com o jogador. "Infelizmente, seremos obrigados a fazer um rodízio forçado", reconheceu o treinador, lembrando que, em breve, o time também estréia na Copa do Brasil. "Sem tempo para treinar, teremos de nos preparar durante os torneios." Contra o Mogi Mirim, Oswaldo já poupou três jogadores no segundo tempo: Ricardinho, Edílson e Vampeta.