Enquanto a polícia apura com mais detalhes o esfaqueamento de dois torcedores quarta-feira à noite na Arena da Baixada – quando o Atlético perdeu para o Guarani por 1 a 0 pela Copa João Havelange – a diretoria do Rubro-negro diz que vai fazer sua parte para evitar novos transtornos dentro do estádio. De imediato, segundo o presidente Ademir Adur, o clube pretende proibir a presença dos torcedores identificados na confusão da quarta-feira. ‘‘Se for preciso eu coloco as fotos de todos os envolvidos nas catracas de entrada’’, afirmou ele.
Dois torcedores foram esfaqueados. Um incidente aconteceu nas arquibancadas da Arena e outro fora do estádio. Ambas as vítimas tiveram os pulmões esquerdos perfurados e foram submetidas a uma cirurgia. Até o fechamento desta edição, os torcedores ainda corriam risco de vida.
Depois da briga envolvendo as torcidas Fanáticos e Ultras, o presidente do Atlético já determinou também a proibição a entrada de faixas para serem afixadas nos alambrados do estádio a partir do jogo de amanhã contra o Santa Cruz.
No ano passado o diretor de marketing, Mário Celos Petraglia, proibiu a entrada de bandeiras com mastro e faixas. Depois de muita pressão a diretoria liberou a entrada de faixas e manteve a probição de bandeiras com mastro. A proibição era para evitar possíveis vandalismos.
O técnico Antônio Lopes tem muitos problemas para escalar o time do Atlético que amanhã enfrenta o Santa Cruz, às 15h45, no Joaquim Américo. O zagueiro Émerson levou o quinto cartão amarelo e cumpre suspensão automática. Fábio deve ser o substituto. O lateral-direito Lusinho Netto teve o tornozelo direito pisado e é dúvida.
Coritiba – O Coritiba terá mais tempo para assimilar a nova derrota na Copa Havelange – perdeu para o Palmeiras por 2 a 1, quarta-feira, em São Paulo – e tentar corrigir os erros. O jogo que aconteceria amanhã contra o Vasco foi adiado a pedido do time carioca, que cedeu quatro jogadores para a Seleção Brasileira. O Coxa só volta ao jogar na semana que vem contra o São Paulo, no Morumbi.
Tentar corrigir os erros é só o que o Coritiba pensa no momento. Vendo as chances de classificação para a próxima fase minguarem a cada derrota – o time já é, junto com o Gama, o que mais perdeu (nove vezes) – , o Alviverde não se conforma com a maneira na qual as derrotas vêm acontecendo. O argumento dos jogadores é sempre o mesmo, ou melhor, a falta dele. ‘‘Não tem mais o que dizer. Jogamos bem, mas não vencemos’’, obervou o meia João Santos.
Para o técnico Ivo Wortmann, que estreou contra o Palmeiras, a hora é de intensificar os treinamentos, principalmente de finalização. O treinador não ficou nada satisfeito com as várias chances de gols perdida contra o time paulista.
Para o confronto contra o São Paulo, Gilberto deverá estar de volta ao gol. Ele se submeteu a exames detalhados na cabeça e nada de mais grave foi constatado em função do choque que teve contra com um palmeirense. O jogador ficou desacordado e foi encaminhado ao hospital, mas já está bem.