|
  • Bitcoin 149.300
  • Dólar 4,9058
  • Euro 5,1831
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 11/05/2022, 12:05

Tite pede desculpas após fala sobre ser desumano jogar na Bolívia

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 11 de maio de 2022


AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - Antes de anunciar a lista de convocados para os próximos três amistosos da seleção brasileira, o técnico Tite pediu desculpas publicamente por uma declaração antes da partida contra a Bolívia, pela última rodada das Eliminatórias Sul-Americanas. O comandante brasileiro tinha falado sobre ser "desumano" jogar na altitude do país.

"Antes da lista, quero fazer um pedido público de desculpas. Fiz no particular e vou fazer de forma pública porque errei e quero aqui colocar. Desculpa, César Farías, desculpa Marcelo Moreno, desculpa desportistas bolivianos", introduziu Tite. Quando usei o termo desumano', no contexto, não teve absolutamente nada de desrespeito", explicou.

"Teve um contexto esportivo, quando perguntaram para mim: 'O que pode ser diferente por causa das mudanças desse jogo contra a Bolívia?'. Está retratada e eu coloquei 'o nível de performance', e aí eu relatei e segui na resposta. Foi infeliz o termo usado", acrescentou.

"O contexto todo ele era de situações físicas, técnicas e táticas que a altitude retira de uma performance, e não das relações humanas. A compreensão é essa, o pedido de desculpa está aqui", finalizou o treinador do escrete canarinho.

A DECLARAÇÃO

Na partida contra a seleção boliviana, o Brasil goleou por 4 a 0 e selou a sua melhor campanha na história das Eliminatórias. Antes do confronto, no entanto, Tite tinha declarado que não seria possível ver a equipe tão vertical por conta das condições de se jogar no país, a mais de três mil metros acima do nível do mar.

"A gente sempre tem uma expectativa, independentemente das adversidades colocadas. Não vai ter um time tão vertical como tem sido nos últimos jogos porque não permite, é desumano, não há essa condição. Existem outras estratégias, de posse de bola. Claro que não vai conseguir colocar o mesmo ritmo, essa velocidade que a gente emprega nos jogos em casa ou em condições normais", tinha afirmado o treinador.