Áureo Nogueira
De Londrina
A Comissão Técnica da Seleção Brasileira alterou a programação de ontem. Sem a presença de Denílson – cortado na véspera – e Roni – que foi à Clínica Ultramed fazer exame médico –, os 18 jogadores realizaram mais um forte treinamento físico pela manhã, no Estádio Vitorino Gonçalves Dias (VGD).
À tarde, em vez de retornar ao VGD, o grupo foi levado à Academia Iron Works, para uma sessão de musculação. Ao final da tarde, como ocorreu nos últimos dois dias de treinamentos físicos, os atletas caíram na piscina da Wet Sports e fizeram uma puxada mas relaxante série de hidroginástica.
Depois de quatro dias de treinamentos físicos – os três últimos em dois períodos – , hoje pela manhã os jogadores vão descansar. O despertar é livre, mas à tarde os trabalhos serão retomados. O técnico Wanderlei Luxemburgo vai iniciar os trabalhos com bola, às 16h30, no Estádio VGD.
Comentava-se ontem à tarde no Crystal Palace Hotel, local de concentração da seleção, que pode ser realizado um treino coletivo (jogo entre titulares e reservas). Mas Luxemburgo não confirmou a especulação.
‘‘Nesta primeira semana a preparação privilegia o condicionamento físico. Estamos forçando nos primeiros dias para ir reduzindo a carga de atividades físicas paulatinamente’’, explicou o professor Marcos Moura, um dos preparadores físicos da seleção. ‘‘O objetivo é que os atletas atinjam o ápice do condicionamento durante a competição.’’
Moura fez questão de explicar ainda que o grupo de jogadores apresenta variação no nível de condicionamento físico. Há jogadores que estavam parados desde o fim da fase de classificação do Campeonato Brasileiro; há outros que folgaram apenas alguns dias; e há, até, aqueles que não tiraram férias. ‘‘O prazo de preparação é curto e temos de aproveitá-lo da melhor maneira possível.’’
Melhores do mundo – Dois membros da delegação brasileira foram premiados pelo Instituto Internacional de Estatística e Histórias do Futebol (órgão alemão). Wanderley Luxemburgo foi escolhido o melhor selecionador do mundo e o meia Alex, o segundo maior goleador de equipes nacionais.
O anúncio foi feito pelo assessor de Imprensa da seleção, jornalista Carlos Lemos, na abertura da entrevista coletiva realizada no VGD após o treino da manhã.
Demonstrando modéstia, Luxemburgo não conseguiu esconder o orgulho de ser considerado o melhor do mundo. Alex também demonstrou satisfação e disse que fez 14 gols com a camisa da Seleção Brasileira, ficando atrás apenas do espanhol Raúl, que anotou 15 vezes no ano passado. Ambos foram parabenizados pelos jornalistas que acomapnham os treinamentos da seleção em Londrina. E agradeceram o reconhecimento.