São Paulo - Apesar da tradição distanciar as duas equipes, o técnico Oswaldo de Oliveira preferiu não falar de favoritismo na partida de amanhã, no Morumbi, contra o Santo André, pelas quartas-de-final do Campeonato Paulista. O treinador justificou sua tese de forma simples. ''Temos de respeitar o adversário, afinal fizeram campanha igual a nossa'', completou o comandante são-paulino ressaltando que na fase de classificação as duas equipes somaram três vitórias, dois empates e uma derrota. Para ele, a única vantagem é a de jogar pelo empate em casa.
O meia Ricardinho concordou com o técnico. ''Quem vai muito na teoria acaba fora da competição. No futebol as pessoas têm mania de adivinhar as coisas'', disse o jogador ao rebater o favoritismo. Ricardinho ressalta, no entanto, que as falhas apresentadas no domingo são inadmissíveis. ''Depois de abrir vantagem por 2 a 0 a gente não pode deixar empatar em hipótese nenhuma.'' Para os problemas do empate por 2 a 2 no domingo não se repetirem, o meia acredita que a receita é muita atenção na marcação.
A cautela do São Paulo também pode ser consequência da possibilidade mínima do meia Kaká atuar. O jogador está com uma contusão na coxa direita e, segundo Oliveira, se não conseguir se recuperar será novamente substituído por Reinaldo.