Suécia domina os EUA e vence com autoridade no futebol feminino


SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Medalhista de prata no Rio-2016 (com a técnica Pia Sundhage, hoje na seleção feminina do Brasil), a Suécia passou por cima dos Estados Unidos e venceu por 3 a 0 na abertura do grupo G do futebol feminino. Jogando no Tokyo Stadium, as tetracampeãs olímpicas foram dominadas praticamente durante todo o jogo pelas atuais vice-campeãs, que mostraram porque são fortes candidatas ao ouro. O triunfo foi construído com dois gols de Blackstenius e um de Hurtig.

Para se ter uma ideia do tamanho da vitória sueca, o resultado quebrou uma invencibilidade de 44 jogos das norte-americanas. Além disso, a Suécia voltou a bater os Estados Unidos após sete anos. Ainda nesta quarta-feira, a Austrália enfrenta a Nova Zelândia no outro jogo da chave.

Os primeiros 45 minutos foram quase todos dominados pela Suécia. Com Rapinoe no banco de reservas, mas contando com Alex Morgan no comando do ataque, os Estados Unidos tiveram muitas dificuldades para parar a intensidade das adversárias. A goleira Alyssa Naeher fez pelo menos três grandes defesas até ser superada por Blackstenius, que se antecipou no cruzamento pela direita e abriu o placar com uma cabeçada aos 24 minutos. No restante da etapa inicial, os EUA ainda carimbaram a trave com Lavelle, mas estiveram mais perto de levarem o segundo gol do que do empate.

Com a entrada de Carli Lloyd, os Estados Unidos voltaram do intervalo esboçando uma postura mais ousada no ataque. Por outro lado, as dificuldades para marcar o time sueco permaneceram, e não demorou muito para sair o segundo gol, novamente com Blackstenius. Na cobrança de escanteio, Ilestedt subiu sozinha e testou no pé da trave. No rebote, a camisa 11 só completou para aumentar a vantagem sueca.

Faltando pouco menos de meia hora para o fim do jogo, a atacante Megan Rapinoe entrou em campo. Em pouco tempo, fez uma boa jogada e participou de outra que terminou na trave. Mas a Suécia estava demais no jogo. Voando pelo lado direito, Glas colocou a bola na cabeça de Hurtig, justamente a substituta da artilheira Blackstenius. A reserva mostrou o mesmo oportunismo da companheira e subiu livre para dar números finais ao jogo. 3 a 0 placar final.

OUTRO JOGO

Mais cedo, pelo grupo E, a forte seleção da Grã-Betanha bateu a estreante Chile por 2 a 0 na cidade de Sapporo. No primeiro tempo, a centroavante Ellen White foi a responsável por marcar o primeiro gol do futebol feminino nas Olimpíadas de Tóquio. Na etapa final, a camisa 9 voltou a balançar as redes, dessa vez em um golaço de voleio após assistência de Lucy Bronze, eleita melhor jogadora do mundo.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo