Silêncio do treinador intriga o 'convalescente' Ronaldo2/Mar, 19:38 Por Silvio Barsetti Rio, 02 (AE) - O atacante Ronaldo, da Internazionale de Milão, estava intrigado com o silêncio do técnico da seleção, Wanderley Luxemburgo. Há 11 dias em Teresópolis, onde treina em tempo integral para se recuperar de cirurgia no joelho direito, o jogador não havia recebido até hoje à noite sequer um telefonema do treinador, fato incomum se comparado a outras situações em que Ronaldo esteve afastado da Inter e da seleção por causa de alguma contusão. A falta de interesse de Luxemburgo pode ser um sinal de que Ronaldo não está mais nos planos da seleção para os primeiros jogos das Eliminatórias da Copa de Mundo de 2002 e, até mesmo, para a disputa da Olimpíada de Sydney. Durante os treinos na Granja Comary, concentração da seleção, Ronaldo recebeu a solidariedade de Zico, Júnior e Pelé, entre outros. Os três telefonaram para o atacante, desejando boa sorte. Logo que assumiu o comando da seleção, em agosto de 1998, Luxemburgo preocupou-se em manter contato frequente com Ronaldo. Dizia palavras de incentivo ao atleta e deixava claro que sua vaga na seleção estaria assegurada tão logo ele voltasse a atuar. Ronaldo parou de jogar por um período, após o Mundial de 1998, na França, para tratar de tendinite crônica nos dois joelhos. O atacante esteve à disposição de Luxemburgo na Copa América do ano passado, quando se destacou com Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho. Mostrou serviço, fez cinco gols e foi bastante elogiado pelo técnico. Pouco depois, porém, viveu o seu maior desgaste com Luxemburgo. Ele não atendeu a um pedido do treinador para disputar a Copa das Confederações, no México, em agosto. Alegou compromissos com seus patrocinadores e uma agenda lotada para o mês. Sua decisão contrariou Luxemburgo e mudou a relação entre ambos. Ronaldo encerra amanhã o trabalho de reforço muscular iniciado há duas semanas, em Teresópolis, na região serrana do Rio, em companhia do fisioterapeuta Nílton Petroni. Domingo, os dois viajam para a França e, no dia seguinte, Ronaldo será examinado pelo médico que o operou, Gerárd Saillant.