Ciclismo -

Seleção de BMX se prepara em Londrina para ano olímpico

Quatro pilotos treinaram na pista londrinense nas últimas semanas de olho nas Olimpíadas em Tóquio

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha

Seleção de BMX se prepara em Londrina para ano olímpico
Isaac Fontana/FramePhoto/Folhapress
 


Londrina recebeu nos últimos dias parte da seleção brasileira de BMX Racing, que se prepara para o início da temporada 2020 e de olho na Olimpíada de Tóquio. Quatro pilotos treinaram na pista de BMX Supercross da CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), localizada no Autódromo Internacional Ayrton Senna. 


A estrutura em Londrina é a única do país com condições semelhantes as pistas que recebem competições internacionais - a pista do Rio de Janeiro, utilizada nos Jogos Olímpicos de 2016, está fechada -, e, por isso, tem recebido constantemente os melhores pilotos brasileiros para períodos de treinamentos, supervisionados pela CBC e com o apoio do COB (Comitê Olímpico Brasileiro). 




"Foram dias produtivos. A pista está muito boa e a estrutura excelente", avalia Renato Rezende, líder do ranking mundial
"Foram dias produtivos. A pista está muito boa e a estrutura excelente", avalia Renato Rezende, líder do ranking mundial | Isaac Fontana/FramePhoto/Folhapress
 


"Foram muito produtivos estes dias em Londrina. Eu fiquei uma semana no fim de dezembro e voltei no dia 1º de janeiro, completando assim três semanas. A pista está muito boa e a estrutura excelente para poder finalizar a pré-temporada", afirmou o carioca Renato Rezende, líder do ranking mundial e um dos representantes do Brasil na Olimpíada de 2016.


Além de Rezende, treinaram em Londrina Bruno Cogo, Priscilla Stevaux e a londrinense Julia Alves. "2020 é o ano mais importante neste ciclo olímpico e tenho treinado forte para buscar bons resultados. Estou muito confiante na minha preparação e os Jogos de Tóquio estão na lista das minhas metas", ressaltou Stevaux, que também competiu na última Olimpíada. 


A definição dos classificados para os Jogos do Japão acontece em junho e até lá os pilotos brasileiros terão diversas competições pela frente como o Campeonato Mundial, o Pan-Americano de BMX e a Copa do Mundo, que começa no dia 1º de fevereiro.


"Será um ano bem corrido porque todas estas competições acabam no fim de maio para termos a definição dos convocados. Viajo agora para a Austrália para a disputa de quatro etapas da Copa do Mundo e depois sigo para os Estados Unidos onde vou competir em duas etapas do USA BMX",  comentou Rezende. "A expectativa é muito boa e é muito gratificante entrar em um ano olímpico brigando por uma vaga para as Olimpíadas". 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias