|
  • Bitcoin 102.068
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 28/05/2022, 21:12

São Paulo vacila, cede empate ao Ceará e desperdiça chance de ser líder

PUBLICAÇÃO
sábado, 28 de maio de 2022

YAGO RUDÁ
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O São Paulo desperdiçou a oportunidade de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro. Na noite deste sábado (28), em confronto com o Ceará pela 8ª rodada, o Tricolor teve um início fulminante, chegou a ficar na frente do marcador em duas oportunidades, mas em dois lances de desatenção defensiva acabou sofrendo gols da equipe visitante e ficou no empate em 2 a 2 no estádio do Morumbi.

O São Paulo precisou de apenas sete minutos para abrir o placar e enlouquecer os torcedores presentes no Morumbi. Em jogada bem trabalhada pelo sistema ofensivo no lado direito, Rafinha cruzou na medida para Calleri se antecipar aos zagueiros do Ceará e fazer o cabeceio certeiro, sem chances de defesa para João Ricardo, e marcar o primeiro da partida.

Calleri estava em noite inspirada. Logo após o primeiro gol, o camisa 9 se aproveitou de uma bola mal rebatida dentro da área e encheu o pé para marcar o segundo do Tricolor na partida. O VAR foi acionado e anulou o gol por conta de um toque de mão de André Anderson no início da jogada.

Na sequência, em sua terceira finalização na partida, Calleri colocou a bola no fundo da rede pela terceira vez, mas, de novo, o gol foi anulado. O argentino desviou chute cruzado de Luciano, mas se antecipou demais aos zagueiros do Vozão e ficou em posição de impedimento.

O São Paulo era dominante no confronto e conseguia, sem maiores esforços, controlar a partida. A situação mudou quando o zagueiro Arboleda foi sair jogando, errou um passe ainda no campo de defesa e entregou a bola nos pés de Iury Castilho. O atacante foi rápido, passou a bola para Cléber, que invadiu a área livre de marcação e deslocou Jandrei para dar números iguais ao jogo.

Mesmo com o empate no marcador, o São Paulo não diminuiu o ritmo e seguiu no ataque. A virada veio em jogada protagonizada por Calleri, que recebeu a bola de costas para o gol, dentro da área, fez o pivô entre dois marcadores e tocou para Rodrigo Nestor chegar de surpresa na entrada da área e soltar o pé, cruzado, para recolocar o Tricolor em vantagem.

Em desvantagem e sem conseguir desenvolver apresentar um bom futebol no Morumbi durante os primeiros 45 minutos da partida, o Ceará voltou ao segundo tempo com Mendoza e Vina. As mudanças de Dorival Júnior surtiram efeito e o Vozão equilibrou a partida, neutralizando os ataques do São Paulo e dando algumas escapadas ao ataque.

Depois de igualar forças na partida, o Ceará se aproveitou de uma jogada de escanteio para empatar, de novo, o confronto no Morumbi. O meia Vina cruzou, o atacante Matheus Peixoto desviou a bola na primeira trave e o colombiano Mendoza apareceu nas costas de Igor Vinícius para marcar o segundo gol do Vozão na partida. O bandeira anulou o lance, mas após análise das imagens o VAR validou a jogada.

O São Paulo volta a campo no próximo sábado (4) para enfrentar o Avaí, na Ressacada, em confronto válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Ceará joga na quarta-feira (1) contra seu rival Fortaleza, no Castelão, em partida atrasada da terceira rodada.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2x2 CEARÁ

Data: 28/05/2022

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (BRA)

Hora: 19h (de Brasília)

Cartões amarelos: André Anderson, Igor Gomes e Rafinha (São Paulo); Lucas Ribeiro, Geovane, Bruno Pacheco, Mendoza, Dorival Júnior e Richardson (Ceará)

Cartões vermelhos: Igor Gomes (São Paulo).

Gols: Calleri, do São Paulo, aos 7 minutos do 1º tempo; Cléber, do Ceará, aos 36 minutos do 1º tempo; Rodrigo Nestor, do São Paulo, aos 43 minutos do 1º tempo; e Mendoza, do Ceará, aos 25' do 2º tempo.

SÃO PAULO

Jandrei; Arboleda, Diego Costa e Léo; Rafinha (Igor Vinícius), Rodrigo Nestor (Pablo Maia), André Anderson (Eder), Igor Gomes e Reinaldo (Welington); Luciano (Rigoni) e Calleri. Técnico: Rogério Ceni.

CEARÁ

João Ricardo; Michel Macedo (Nino Paraíba), Luiz Otávio, Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Lucas Ribeiro (Vina), Lima, Wescley (Mendoza) e Richardson; Cléber (Matheus Peixoto) e Iury Castillo (Victor Luís). Técnico: Dorival Júnior.