São Paulo se impõe na Argentina, avança e espera por Palmeiras na Libertadores


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Com uma atuação consistente, quase sem correr riscos, além de destaques individuais, o São Paulo bateu o Racing (ARG) nesta terça (20) por 3 a 1 na Argentina e avançou às quartas de final da Libertadores.

Após o empate no confronto de ida, no Morumbi, por 1 a 1, o time tricolor contou com dois gols do meia Rigoni e um do atacante Marquinhos, 18, para voltar do país vizinho com seu primeiro triunfo desde 2005, quando venceu por lá pela última vez.

Agora, os comandados do técnico Hernán Crespo aguardam o vencedor do duelo entre Palmeiras e Universidad Católica (CHI) para conhecer o adversário na próxima fase --na partida de ida, a equipe alviverde venceu fora de casa, por 1 a 0. O segundo jogo será nesta quarta (21), no Allianz Parque.

Caso a equipe paulista confirme o favoritismo, será o quarto encontro entre os rivais no principal torneio de clubes do continente. E o histórico é amplamente favorável aos tricolores, que venceram os três confrontos anteriores, todos pela fase de oitavas de final, em 1994, 2005, ano em que foi campeão, e 2006.

O triunfo em solo argentino também aliviou a pressão sobre o São Paulo. O elenco tem sido questionado pelo péssimo início no Campeonato Brasileiro, em que figura apenas na 15ª posição, próximo à zona de rebaixamento, após somar 11 pontos em 12 rodadas.

A campanha tem feito Crespo enfrentar o seu pior momento desde que chegou ao clube, apesar de ter o respaldo da torcida e da diretoria devido à conquista do Campeonato Paulista, que tirou a equipe tricolor de um jejum de nove anos sem títulos.

Antes do jogo com o Racing, o treinador chegou a pedir tempo para colocar o time nos trilhos. A resposta, porém, veio rapidamente. O São Paulo se impôs sobre o adversário e abriu o placar aos 43 minutos do primeiro tempo, com Rigoni, depois de criar ao menos duas chances. Após o intervalo, o ataque foi ainda mais efetivo. Primeiro, Marquinhos ampliou aos 2 minutos, e Rigoni voltou a balançar as redes, aos 11.

Os donos da casa só conseguiram descontar aos 17, com Javier Correa, num dos poucos momentos em que a defesa tricolor deixou espaço para os argentinos finalizarem, um mérito em grande parte do zagueiro Miranda, que teve atuação quase irretocável, com bons desarmes e a armação do primeiro gol.

RACING

​Arias; Cáceres (Fabricio Dominguez), Sigalli, Mauricio Martínez, Nery Domínguez e Mena; Leonel Miranda (Lovera, Piatti (Matías Rojas) e Moreno (Javier Correa); Copetti e Chancalay. T.: Juan Antonio Pizzi

SÃO PAULO

Volpi, Miranda, Arboleda e Léo; Igor Vinícius, Liziero (Nestor), Rodrigo Nestor, Benítez (Luan) e Wellington; Rigoni e Marquinhos (Reinaldo). T.: Hernán Crespo

Estádio: El Cilindro, em Avellaneda (ARG)

Árbitro: Gustavo Tejera (URU)

Assistentes: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (PAR)

VAR: Eber Aquino (PAR)

Cartão amarelo: Léo (SAO)

Gols: Rigoni (SAO), aos 43'/1ºT; Marquinhos (SAO), aos 2', Rigoni (SAO), aos 11', e Javier Correa (RAC), aos 17'/2ºT

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo