São-paulino Vágner irrita palmeirenses12/Mar, 19:27 Por Paulo Guilherme São Paulo, 12 (AE) - Perder para o São Paulo, tudo bem. O que revoltou os jogadores do Palmeiras foi o comportamento do meia Vágner, do São Paulo, que durante toda a partida abusou dos dribles e das jogadas de efeito. Os palmeirenses reclamaram da arrogância e das provocações do adversário, acusando Vágner de a cada drible dado soltar frases como "eu sou f..." Índio era o mais indignado. Apesar de já conhecer a fama do meia são-paulino não gostou da maneira como foi tratado pelo rival. "Para mim, falta maturidade para ele", avaliou o zagueiro do Palmeiras. "O Vágner fala demais, falta respeito com os companheiros de profissão, ele sabe jogar bola mas deixa todo mundo perturbado com a sua forma de agir." Argel também reprovou o comportamento do adversário, mas evitou entrar em polêmica. "Ele joga o futebol dele que eu deixo para jogar à minha maneira", disse. Expulso no segundo tempo, Argel espera que a diretoria do Palmeiras consiga antecipar seu julgamento para que ele possa ser absolvido e participar da partida de domingo contra a Portuguesa Santista. "Não tive escolha: a gente perdia por 2 a 0 e se eu não coloco a mão na bola, o São Paulo faria o terceiro gol", explicou Argel. "Fiz a opção certa." Muito abatido, o atacante Basílio não escondia a preocupação por ter sofrido uma contusão em tempo recorde. Ele entrou no time após o intervalo e ficou apenas um minuto em campo. Sentiu uma contratura muscular e teve de sair para dar lugar a Asprilla. "Não sei o que aconteceu, eu fiz o aquecimento correto no intervalo", declarou. Já o colombiano Asprilla, dá sinais de insatisfação com a condição de reserva. "É difícil ficar no banco", reclamou Asprilla. Para o técnico Luiz Felipe Scolari, o fato do Palmeiras ter apenas um ponto em dois jogos pelo Campeonato Paulista não preocupa. A derrota no clássico contra o São Paulo, para ele, é um resultado normal. "O problema foi aquele empate com o Guarani na primeira rodada", salientou Scolari. O treinador pediu a permanência do meia Jackson no elenco do Palmeiras. Isso acabou atrapalhando as negociações com o Cruzeiro, que iria ceder o atacante Marcelo Ramos por empréstimo recebendo Jackson em troca.