Em uma partida tumultuada, interrompida por falta de segurança quando faltavam 25 segundos para o final, o São Miguel derrotou o Missal no primeiro jogo de uma das semifinais da Chave Ouro do Campeonato Paranaense de Futsal. A partida, 25 de julho, em Missal (Oeste do Estado), terminou em 6 a 4.
As duas equipes voltam a se enfrentar dia 21, em São Miguel do Iguaçu. Missal precisará vencer para provocar um jogo-desempate. A outra semifinal, entre Foz e Cascavel, começa amanhã, às 20 horas, ginásio Sérgio Mauro Festugatto, em Cascavel. Os vencedores dos dois confrontos decidem o título da principal divisão do Campeonato Paranaense.
São Miguel iniciou o jogo de ontem com Vanderlei, Paulo, Henrique, Eder e Carlos André. Missal entrou em quadra com Doni, Cidinho, Tonhão, Tarcísio e Luciano. O ginásio 25 de julho, com capacidade para 1,5 mil pessoas, ficou praticamente lotado. A equipe visitante contou com a presença de 400 torcedores.
Aos sete minutos, Carlos André recebeu uma bola cruzada de Biro, tirou o goleiro Doni da jogada e abriu o placar para o São Miguel. Dois minutos depois, Anderson escorregou e Gleyson deixou Tonhão livre para empatar.
Num contra-ataque puxado por Tarcísio, Cidinho colocou a bola na saída do goleiro Vanderley e fez Missal 2 a 1. O terceiro gol do Missal também saiu dos pés de Cidinho, que aproveitou o rebote depois de um chute forte de Tonhão.
Logo no início do segundo tempo, Eder diminuiu para o São Miguel. O empate saiu de um passe de Messinho. Ele bloqueou a passagem de dois adversários, deixando um corredor aberto para Biro, que chutou forte.
São Miguel voltou a ficar em vantagem com uma cobrança de falta de Anderson. Aos dez minutos, Marquinhos foi expulso de quadra por dois minutos. Passado o sufoco, Messinho em uma jogada individual, confirmou o quinto gol do time. Logo em seguida, Tarcísio recebeu cruzamento de Cleyson e diminuiu para o Missal.
As esperanças de vitória do time da casa caíram por terra depois de Anderson receber um passe de Eder e definir o placar final da partida (4 a 6). O técnico do Missal, Claudeir Pereira da Silva, discutiu com a arbitragem sobre uma falta de Anderson em cima de Tarcísio pouco antes do gol. Os torcedores também não gostaram da marcação de Menezes e invadiram a quadra. Faltando 25 segundos, o juiz determinou fim de jogo alegando falta de segurança.