Santos vence o Boca Juniors na estreia de Diniz e renasce na Libertadores


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Era tudo o que o Santos precisava. Na estreia de Fernando Diniz como técnico, a equipe derrotou o Boca Juniors por 1 a 0 na noite desta terça-feira (11), na Vila Belmiro. O resultado, somado à vitória do The Strongest (BOL) sobre o Barcelona (EQU), em La Paz, embolou o grupo C da Copa Libertadores.

Após quatro rodadas, o Barcelona lidera com nove pontos, seguido por Santos e Boca Juniors, com seis. O time brasileiro, que vem de duas vitórias e poderia até ser eliminado se perdesse nesta terça, terá de decidir seu futuro fora de casa. Nas duas partidas finais, vai enfrentar The Strongest, em La Paz, e Barcelona, em Guayaquil.

É o segundo alívio para o clube alvinegro em três dias. No domingo, ainda sob o comando do interino Marcelo Fernandes, venceu por 2 a 0 o São Bento evitou o rebaixamento para a Série A2 do Campeonato Paulista.

Os três pontos fizeram com que o Santos empurrasse a pressão para o rival argentino. Derrotado pelo pequeno Patronato no último sábado, o Boca Juniors terá confronto eliminatório, pelas quartas de final da Copa da Liga, contra seu maior adversário, o River Plate, no próximo domingo (16). Novo revés pode tornar a situação ainda mais difícil para o técnico Miguel Ángel Russo, que começou a temporada na expectativa de fazer o clube conquistar a Libertadores pela sétima vez e se igualar ao Independiente no ranking dos maiores campeões.

Em um primeiro tempo equilibrado, a diferença entre os dois times foi aproveitar a única chance que tiveram para marcar. Carlos Tevez, referência ofensiva do Boca Juniors, teve uma grande oportunidade antes dos dez minutos. Sozinho e dentro da área, mandou para fora. A possibilidade santista de abrir o placar caiu nos pés de Felipe Jonatan aos 40. O lateral recebeu na área, passou pelo zagueiro Izquierdoz como se ele não existisse e mandou para o gol.

Até ali, a partida era equilibrada. Os argentinos tentavam se impor nas jogadas pelas laterais de Villa e Pavón (criador da jogada desperdiçada por Tevez). Mas o goleiro João Paulo foi pouco exigido. O Santos, pela falta de capacidade criativa e a sentir a ausência do lesionado Marinho, também encontrava dificuldade.

Os donos da casa começaram com mais disposição o segundo tempo e maior posse de bola, mas sem pressionar. No primeiro minuto, o árbitro ignorou pênalti quando Izquierdoz desviou com a mão lançamento que seria para Kaio Jorge. Na fase de grupos da Libertadores não há o recurso do VAR.

Com Lucas Braga levando vantagem sobre Buffarini em todas as jogadas, o Santos cresceu em campo e não era ameaçado pelo rival, mesmo após a expulsão de Fernando Diniz por reclamação.

Diniz terá agora uma semana para preparar o time, eliminado no estadual, para o jogo contra o The Strongest, na próxima terça (18), que também será decisivo.

SANTOS

João Paulo; Pará, Luan Peres, Kaiky e Felipe Jonatan (Copete); Jean Mota, Vinicius Balieiro e Gabriel Pirani; Ângelo (Madson), Lucas Braga e Marcos Leonardo. T.: Fernando Diniz

BOCA JUNIORS

Rossi; Federico Buffa, Lopez (Rojo), Isquierdoz e Fabra; Medina (Maroni), Varela e Almendra; Pavon, Tevez (Soldano) e Villa. T.: Miguel Ángel Russo

Estádio: Vila Belmiro, em Santos (SP), às 19h15

Árbitro: Christian Ferreyra (URU)

Assistentes: Carlos Barreiro e Martín Soppi (URU)

Cartões amarelos: Jean Mota, Ângelo, Lucas Braga e Kaio Jorge (SAN); Buffarini (BOC)

Cartões vermelhos: Fernando Diniz (SAN); Miguel Ángel (BOCA)

Gol: Felipe Jonatan (SAN), aos 401/1ºT

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo