São Paulo, 01 (AE) - Os dirigentes do Corinthians ficaram surpresos quando receberam, na noite de segunda-feira, uma carta do colombiano Freddy Rincón. O jogador, que está em férias em seu país, pediu que o contrato com o clube fosse rescindido. "Fizemos tudo para que o Rincón permanecesse no Parque São Jorge por mais duas temporadas, mas não podemos tê-lo aqui contra a sua vontade", disse, hoje, o diretor de Futebol do Corinthians, Carlos Nujud.
Na Vila Belmiro, comenta-se que o colombiano já acertou as bases de seu contrato, diretamente com o presidente do Santos
Marcelo Teixeira. Por US$ 6 milhões, ele defenderia o clube por dois anos. O jogador já teria até recebido um adiantamento de US$ 180 mil.
Na briga pelo futebol de Rincón, o Flamengo chegou a acertar um contrato verbal com o jogador ainda em meados do dezembro, com uma proposta salarial de US$ 120 mil mensais, um apartamento na Barra da Tijuca, um curso de direito para a mulher, Priscila, e escola para os filhos. A assinatura oficial, que não ocorreu, estava prevista para logo depois da final do Mundial de Clubes, no dia 14.
No pré-contrato com o Corinthians, Rincón teria um aumento de 50% - ele passaria a ganhar US$ 120 mil mensais, pagos na cotação do dia -, além de US$ 2 milhões em luvas. Rincón ainda teria a possibilidade de atuar por outras três temporadas nos Estados Unidos e ser garoto-propaganda da Hicks Muse Tate & Furst.
O atual contrato de Rincón, de 33 anos, vai até a metade do próximo ano. O jogador, em entrevista à rádio colombiana Caracol, reproduzida pela Rádio Bandeirantes, disse que a liberação depende apenas do pagamento da multa rescisória. "Sou dono do meu passe e estou amparado pela lei", afirmou. Rincón citou, inclusive, trechos da Lei Pelé.
FIM DE CASAMENTO - Nujud disse que a carta com o pedido de rescisão de Rincón será analisada pelo Departamento Jurídico do clube, que deve tomar as providências cabíveis. Até o fim da tarde, João Zanforlin, advogado do Corinthians, não havia recebido o documento. O advogado não quis adiantar as medidas a serem tomadas, mas, a exemplo de Nujud, afirmou que não há como obrigar o atleta a ficar. "É como o fim de um casamento", comparou Zanforlin.
Nujud evitou falar em traição de Rincón. O atleta também não reclamou do clube alvinegro. "Estou contente no Corinthians
mas preciso ver o que é melhor para mim", declarou.
O retorno de Rincón ao Parque São Jorge era esperado para segunda-feira. Hoje, o elenco que disputa o Torneio Rio-São Paulo treinou em dois períodos. O próximo jogo será contra o Fluminense, sábado, no Rio.