Janaina Tupan Frare
Especial para a Folha
De Curitiba
O Rexona estréia nas semifinais da Superliga Feminina de Vôlei, enfrentando hoje, em São Paulo, a partir das 20 horas, o Blue/Life Pinheiros, que venceu o Grêmio Londrina por três a zero na semana passada e garantiu a vaga entre os quatro melhores times do País. Na outra rodada da semifinal, o MRV/Minas pega o BCN/Osasco, em Belo Horizonte, às 20h30. Os vencedores da melhor-de-cinco se enfrentam na grande final. ‘‘Numa melhor-de-cinco, uma vitória fora de casa vale o dobro’’, disse o técnico Bernardinho. ‘‘Mas mesmo assim não podemos deixar de considerar o Pinheiros um grande time.’’
O Rexona vai ter a vantagem de jogar a maioria dos cinco jogos em casa, já que terminou a primeira fase do campeonato com a melhor campanha da Superliga.
No jogo de hoje, o Rexona entra em quadra com Walewska e Karin no meio-de-rede e Érica e Tara Cross nas pontas. Elisângela vai ficar na diagonal da levantadora Fernanda Venturini. A principal dúvida do técnico é para a posição de líbero. Ele não sabe se coloca Ana Volponi ou Daniela.
Segundo o treinador do Pinheiros, Ari Rabelo, enfrentar o Rexona não vai ser tarefa fácil. O técnico afirma ter uma dificuldade histórica contra o Rexona. ‘‘Já jogamos seis vezes e perdemos todas’’.
O segundo jogo entre as duas equipes está marcado para sábado, em Curitiba. O terceiro, dia 30, também será na capital paranaense.
Presente – A atacante Érica, que ocupa a décima posição no ranking brasileiro, espera comemorar o seu vigésimo aniversário com uma vitória sobre o Pinheiros hoje à noite. O dia do jogo coincidiu com a data do seu aniversário. ‘‘Nada melhor que uma vitória para a festa de ser completa’’, diz a jogadora.