|
  • Bitcoin 118.109
  • Dólar 5,2177
  • Euro 5,3453
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 16/07/2022, 10:00

Rejeitado por gigantes, CR7 tenta evitar ausência inédita da Champions

PUBLICAÇÃO
sábado, 16 de julho de 2022

THIAGO TASSI
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Cristiano Ronaldo tem uma relação especial com a Liga dos Campeões. Maior artilheiro da história da competição europeia, com 141 gols, o astro português vive uma situação delicada na janela de transferências: aos 37 anos, CR7 não quer seguir no Manchester United e busca um novo desafio para disputar a Champions League.

Dono de diversos recordes no maior torneio de clubes do mundo, Cristiano Ronaldo tem uma marca significativa na carreira, iniciada em 2002: ele nunca ficou fora de uma edição da Liga dos Campeões desde que se tornou profissional. Como o United não conseguiu vaga à Champions na última temporada, o astro busca uma saída, mas vê gigantes da Europa rejeitá-lo.

Nos últimos dias, o jornal espanhol "As" noticiou que Ralf Rangnick, ex-treinador do Manchester United, orientou Thomas Tuchel a não levar Cristiano Ronaldo para o Chelsea. A diretoria do clube londrino até tinha um plano para contratar o jogador, mas respeitou a decisão do treinador, que prefere não contar com o português.

Antes, outro gigante já havia fechado as portas para CR7. O Bayern de Munique declarou que não tentaria contratar o atacante. "Por mais que eu aprecie Cristiano Ronaldo como um dos maiores, uma transferência não se encaixaria em nossa filosofia", disse o diretor Oliver Kahn, em entrevista à revista "Kicker".

Logo quando subiu ao profissional pelo Sporting-POR, na temporada 2002/03, Cristiano Ronaldo participou de um jogo na fase classificatória da Champions League. Ele saiu do banco, teve pouco mais de 30 minutos em campo e não balançou a rede. Em seguida, foi vendido para o Manchester United e nunca mais ficou fora da competição.

Com passagens por United (duas vezes), Real Madrid e Juventus, CR7 conquistou cinco troféus da Champions, fez 141 gols em 187 jogos, deu 42 assistências e converteu 19 penalidades. Ele é o líder de todos os tempos em número de partidas, bolas na rede, passes para os companheiros e foi o artilheiro de sete edições. Por isso, é considerado o "rei" da Liga dos Campeões.

Por que gigantes europeus não querem CR7?

Por enquanto, Cristiano não tem muitas perspectivas para seguir na elite da Europa caso deixe o Manchester United. Embora na temporada 2021/22 tenha sido o artilheiro do clube inglês (24 gols) e feito a diferença para a equipe avançar na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Aos 37 anos, o português parece mais fora do radar dos gigantes europeus neste momento —a principal proposta ligada ao craque agora é uma de valores astronômicos, mas da Arábia Saudita.

Além das altas cifras que qualquer clube teria de desembolsar para contratá-lo, CR7 enfrenta certas dificuldades, neste fim de carreira, para se adaptar à parte tática do futebol moderno disputado na Europa.

De acordo com o jornal "The Guardian", ele foi o jogador de campo que menos realizou ações de pressão nas cinco principais ligas europeias na última temporada. Apesar da forma física exemplar, não é característica do português contribuir sem a bola.

Isso vai afastando o astro de um futebol cada vez mais pautado pela intensidade e pela pressão para recuperar a bola, já no campo ofensivo, principalmente nos jogos de elite no Velho Continente.