|
  • Bitcoin 120.425
  • Dólar 5,1649
  • Euro 5,2600
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 17/07/2022, 16:49

Rayssa Leal vence disputa com japonesas na Street League na última manobra

PUBLICAÇÃO
domingo, 17 de julho de 2022

PAULO ANSHOWINHAS
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A estrela da "Fadinha" voltou a brilhar neste domingo (17) e coroou a performance da skatista brasileira Rayssa Leal, de 14 anos, com a vitória na Street League, na etapa de Jacksonville, na Flórida (EUA), mas levantou polêmica com uma punição inédita para a brasileira Pâmela Rosa, que ficou com o terceiro lugar.

"Quero agradecer meus pais, e meu irmão Arthur, estou com muita saudade dele, e este prêmio é para ele", declarou a campeã ao final da etapa em português para a repórter americana.

Sempre sorridente, Rayssa conseguiu - como de costume, o improvável, ao acertar na manobra derradeira, última da tarde, um heel flip rock slide e conseguiu justamente a nota 7,6, que precisava para vencer a japonesa Yumeka Oda.

Oda, inclusive fez uma marca muito importante ao conseguir a maior nota da história da Street League na categoria feminina ao acertar um flip feeble de front que lhe valeu um, 9,4, nota inédita entre as mulheres, mas não foi o suficiente para superar Rayssa.

A campeã olímpica Momiji Nishiya ficou com o quarto posto, e Gabriela Mazetto com o sétimo lugar.

Pâmela Rosa

A grande polêmica, entretanto, foi uma punição - também inédita - para a brasileira Pamela Rosa logo na primeira manobra efetuada - um ollie board de front perfeito - que merecia uma nota acima de 8.0, mas que levou um zero.

Isto porque de acordo com os organizadores, pela novas regras da Street League, o skatista não pode repetir a mesma manobra no mesmo local onde iniciou a fase anterior (de linhas).

Pâmela contestou e disse que havia feito um feeble grind na fase anterior, mas não convenceu os jurados, que foram amplamente vaiados pelo público com essa atitude inesperada.

A punição abalou claramente Pâmela, que errou a manobra seguinte, mas conseguiu um nota 6.0 na sequência com um Smith Grind de back, suficiente para a colocar entre as quatro finalistas da Super Final, com Rayssa Leal, Yumeka Oda e Momiji Nishyia.

Depois dessa vitória Rayssa larga na frente pela corrida do título da Super Crown, que será disputada dias 5 e 6 de novembro na Arena Rio 1, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Mas antes ela terá de mostrar serviço nas etapas americanas que antecedem a grande final, com eventos nos dias 13 e 14 de agosto em Seattle e 8 e 9 de outubro em Las Vegas.

Da Flórida, Rayssa irá continuar por enquanto nos Estados Unidos onde na semana que vem compete no X-Games de Los Angeles, e na seguinte no Dew Tour em Iowa.

Confira a classificação final feminina da etapa de Jacksonville, da Street League:

1 - Rayssa Leal (BRA)

2 - Yumeka Oda (JPN)

3 - Pamela Rosa (BRA)

4 - Momiky Nishiya (JPN)

5 - Roos Zwetsloot (HOL)

6 - Poe Pinson (EUA)

7 - Gabriela Mazetto (BRA)

8 - Aori Nishimura (JPN)