|
  • Bitcoin 144.256
  • Dólar 4,8801
  • Euro 5,1549
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 03/05/2022, 09:38

Quem se deu bem com a exclusão dos times russos da próxima Champions

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 03 de maio de 2022

ARTHUR SANDES
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - A Uefa anunciou nesta segunda-feira (2) a manutenção das sanções aos clubes da Rússia, que seguem fora das competições continentais na temporada que vem. A exclusão cria um efeito cascata na Liga dos Campeões da próxima temporada, e alguns países se dão bem com a redistribuição de vagas na competição.

No anúncio, a Uefa esclareceu que a ordem de classificação à Champions, à Liga Europa e à Conference League "foram reordenadas de acordo com os princípios especificados nos regulamentos". Na prática, todas as federações que estavam atrás da Rússia (8ª colocada) no ranking de clubes agora sobem uma posição.

Para quem já estava à frente, não muda nada. Então as duas vagas que os times russos teriam na Liga dos Campeões não vão para as principais ligas europeias (nem para Portugal ou Holanda). A única vaga direta vai para a Escócia, a grande beneficiada, e a segunda é compensada por um rearranjo das fases prévias aos grupos, a "pré-Champions".

Desta forma, o campeão escocês vai direto para a fase de grupos, e o vice-campeão neste ano estreia na segunda fase prévia -e não na primeira, como seria normalmente. É uma ótima vantagem, considerando que um time escocês não chega à fase de grupos da Champions desde o Celtic da temporada 2017-18.

Outros países tiveram vantagens parecidas nestas fases prévias: o vice-campeão da Áustria também sobe um degrau e começa na segunda fase; o Trabzonspor, por ser o campeão turco, vai precisar passar por apenas uma fase eliminatória para chegar aos grupos -não duas, como seria normalmente. O campeão do Chipre vai precisar passar por duas destas fases -e não três. Por fim, os campeões da Croácia e da Suíça (no caso, o FC Zurich) vão ter que eliminar três adversários -não quatro.

O mesmo fenômeno acontece na Liga Europa e na Conference League. Ao todo, 16 países têm caminho um pouco mais fácil para seus representantes nestes dois torneios, sendo os mais beneficiados os classificados de Turquia, Dinamarca, Sérvia, República Tcheca, Croácia e Suíça.

O ranking divulgado pela Uefa inclui a Ucrânia, cujo campeonato está paralisado desde o início da invasão russa. Ainda não está claro como os times ucranianos vão conseguir participar das competições internacionais se a guerra não terminar nos próximos meses.