|
  • Bitcoin 119.033
  • Dólar 5,1890
  • Euro 5,2828
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 20/07/2022, 20:16

Primeira mulher na capa global do Fifa já recebeu voto de Marta e inspira garotas indianas

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 20 de julho de 2022

LUCIANO TRINDADE
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em 2018, quando foi eleita pela sexta vez a melhor jogadora do mundo, Marta também tinha direito a voto na seleção do prêmio The Best, da Fifa, como capitã do Brasil. Para a brasileira, naquele ano, a australiana Sam Kerr merecia o mesmo reconhecimento que ela havia ganhado.

Aos 24 anos, a atacante era finalista da premiação pela segunda vez e acumulava uma série de feitos para obter uma posição melhor do que o nono lugar conquistado entre as dez atletas que disputaram o troféu.

À época com 43 gols, havia se tornado a maior artilheira de todos os tempos da National Women's Soccer League (NWSL), com sede nos EUA, amplamente considerada a liga mais forte do futebol feminino --com 61 gols, ela ainda detém essa marca atualmente.

Só em 2018, balançou a rede 17 vezes na competição, o que lhe rendeu a Chuteira de Ouro pela artilharia, além de ser eleita a atleta mais valiosa do torneio naquele ano.

O sucesso da australiana, inclusive pela seleção de seu país, despertou interesses pelas origens da atleta e jogou luz à história de imigração de seus avós paternos e de seu pai, que nasceram na Índia. Idolatrada na Austrália e nos EUA, ela também passou a ser um ícone para garotas indianas que gostam de futebol.

"A minha herança indiana é algo de que tenho muito orgulho e sei que minha avó está muito orgulhosa de estar representando jovens indianas sempre que vou lá e jogo", disse a atacante recentemente à Forbes.

Agora, ela também passará a ser uma referência para meninas do mundo todo. No início desta semana, a EA Sports anunciou Sam Kerr como a primeira jogadora a estampar a capa global do game Fifa na edição de 2023, ao lado do francês Kylian Mbappé.

Nesta quarta-feira (20), o estúdio divulgou o primeiro trailer oficial do jogo, que será lançado oficialmente em 30 de setembro. Além da nova estrela global, a principal novidade será a adição de equipes femininas de clubes pela primeira vez na história da franquia. Estarão presentes times da Barclays Women's Super League, da Inglaterra, e a Division 1 Arkema, da França.

"É uma honra e um sonho realizado estar na capa do Fifa 23", disse Sam. "Foi incrível trabalhar com Kylian e toda a equipe da EA Sports e mal posso esperar para que todos os fãs coloquem as mãos em uma cópia do jogo", acrescentou a jogadora do Chelsea.

Escolhido para ser a estrela do jogo pelo terceiro ano consecutivo, Mbappé valorizou a escolha de Kerr. "Eu estou ainda mais animado por compartilhar uma capa homenageando o futebol feminino com uma grande jogadora como a Sam Kerr", disse o francês do PSG.

Antes da australiana, as jogadoras Alex Morgan, Christine Sinclair e Stephanie Catley também apareceram na capa do Fifa 2016, mas somente em versões distribuídas em países específicos, como EUA e Canadá.

Foi também naquela edição que a EA introduziu equipes femininas no jogo pela primeira vez, com a adição de 12 seleções, incluindo a brasileira com a presença de Marta.

Escolhida para a mais nova versão do jogo, Sam é uma das principais jogadoras da atualidade. Contratada pelo Chelsea em 2020, ela já conquistou três vezes a WSL, além de duas vezes as Copas da Inglaterra e as Copas Continentais. Também tem um vice-campeonato na Woman Champions League.

Na temporada 2021-2022, foi a artilheira da WSL, com 21 gols, tornando-se a primeira jogadora da história a ganhar o prêmio de goleadora em três continentes diferentes: Oceania, América do Norte e Europa.

O faro de gol apurado é algo notável na carreira dela desde seus primeiros passos. Depois de estrear pela seleção da Austrália com 15 anos, ela marcou o primeiro gol pela equipe aos 16 e não parou mais. Com 59 gols em 110 partidas, é a maior artilheira da história da seleção.

Além disso, é a primeira jogadora australiana, homem ou mulher, a marcar três gols em um mesmo jogo de Copa do Mundo, em 2019, na França.

Em 2023, além de estampar as capas do Fifa, Sam Kerr vai liderar, em casa, a Austrália na nona edição da Copa do Mundo Feminina e seguir sonhando em levar mais alguma chuteira de ouro.

Já a edição de 2023 será a última do game com o nome da entidade máxima do futebol, uma vez que a EA e a Fifa não renovaram o contrato de parceria. A partir da próxima temporada, o tradicional jogo de futebol vai se chamar EA Sports FC.