Superman, Batman, Mulher Maravilha. Até a estátua da Liberdade foi a Manaus dar aquela forcinha para os EUA vencerem a guerra contra Portugal. Mas não foi o suficiente. Umgol de Varela, aparando cruzamento de Cristiano Ronaldo, que enfim deu o ar da graça, decretou o 2 a 2,mantendo as chances dos irmãozinhos na Copa.
Portugal começou a mil por hora e abriu o placar logo aos cinco minutos: André Almeida cruzou, Cameron falhou, Nani aparou e bateu forte, sem chance para Howard. Aos poucos, no entanto, foi cedendo espaço para os americanos, que abusaram dos chutes de longa distância, quase todos apenas próximos do alvo. Quem conseguiu fazê-lo, na prática, foi Nani, mais uma vez, acertando a trave esquerda. Éder Lopes apanhou a sobra e obrigou o goleiro a se esforçar para defender. Cristiano Ronaldo ficou devendo. Oque mais impressionou, porém, como havia ocorrido na derrota de 4 a 0 para a Alemanha, foram os problemas de lesão no time português. Hélder Postiga e André Almeida acabaram substituídos.
As equipes voltaram fazendo um jogo equilibrado, mas Portugal demorou a ampliar. Aos 17, Cristiano Ronaldo entrou livre e chutou na Ilha da Madeira. No minuto seguinte, Jones tirou Nani do caminho e bateu de fora da área, no canto esquerdo, deixando Beto paradão: 1 a 1. O resultado era péssimo para os lusos. Mas esses não mostravam futebol para mudar tal situação. Erravam quase sempre o último passe, permitindo que a bola voltasse aos pés dos ianques.
Aos 35, num contra-ataque fulminante puxado por Yedlin, a sobra ficou para Zusi, que enxergou Dempsey, que pôs de barriga para dentro: 2 a 1. Mas Portugal sobreviveu. Um milagre de Fátima fez Varela acertar a cabeçada aos 49. E a decisão do grupo ficou para quinta.

Imagem ilustrativa da imagem POR UM TRIZ!
Imagem ilustrativa da imagem POR UM TRIZ!
Imagem ilustrativa da imagem POR UM TRIZ!
Imagem ilustrativa da imagem POR UM TRIZ!
Imagem ilustrativa da imagem POR UM TRIZ!
Imagem ilustrativa da imagem POR UM TRIZ!