São Paulo, 26 (AE) - As placas de publicidade que caíram durante o treino classificatório de sábado tinham sido recolocadas pelos organizadores do GP Brasil. Antes do treino de aquecimento, hoje de manhã, os painéis foram novamente retirados a pedido da direção da corrida, que temia que elas pudessem cair novamente durante a prova.
Tamas Rohonyi, presidente da International Promotion, organizadora do GP Brasil, alegou que as placas tinham caído por causa de um suposto choque com algum caminhão da FIA. "Foi um acidente e também um pouquinho de negligência", disse. Prejuízo para Marlboro, que havia pago R$ 3 mil por cada uma das placas de publicidade.
Uma prévia da disputa que se viu na pista aconteceu dez minutos antes da largada dos carros para a volta de apresentação. Alguns pilotos promoveram um verdadeiro pega para chegar ao banheiro masculino. Schumacher, Irvine, Hakkinen e Coulthard eram os mais apressados. Rubinho bateu o recorde: foi três vezes ao toalete.
Os alemães Ralf Schumacher (Williams) e Heinz-Harald Frentzen (Jordan) foram multados em US$ 5 mil porque entraram na pista para o treino de aquecimento antes da direção da prova acionar o sinal verde.

O plantão médico do Hospital Duprat, instalado dentro do autódromo, recebeu 154 pesssoas. O caso mais grave foi um mecânico da McLaren responsável pelo reabastecimento dos carros que teve uma crise de burcite.

Vários ex-pilotos vieram ao Brasil acompanhar a corrida. Alguns, como Alain Prost, Jackie Stewart e Gerhard Berger, trabalham direta ou indiretamente nas equipes. Martin Brundle, Jacques Lafitte, Ivan Capelli, Marc Surer e Eliseu Salazar atuam como comentaristas. Os brasileiros, Nelson Piquet, André Azevedo
Alex Dias Ribeiro e Ricardo Rosset também deram as caras em Interlagos.
Os jovens pilotos Luciano Burti, Henrique Bernoldi, Ricardo Maurício, Bruno Junqueira e Mário Haberfeld, todos brasileiros, também estiveram em contato com o mundo da F-1, do qual, em breve, eles poderão participar.