Osmani Costa e
Janaina Tupan Frare
De Londrina
O pior ataque contra a pior defesa. A preliminar da última rodada da primeira fase do Grupo A, hoje à tarde no Estádio do Café, não deve proporcionar um grande espetáculo ao público. Em três jogos, a Venezuela só marcou um gol – no empate com a Colômbia – e sofreu sete; tendo perdido para o Brasil e Chile. O Equador tomou oito gols nas primeiras partidas, e marcou três gols em três derrotas. Eliminados do quadrangular final do Pré-Olímpico, as duas seleções despedem-se hoje dos torcedores londrinenses.
O treinador da Venezuela, Lino Alonso, só definiria a equipe que começa jogando num treino tático no final da tarde de ontem, no campo do Iapar. Mas a equipe deve ser a mesma que perdeu para o Brasil na quarta-feira, porque não tem jogadores com problemas físicos ou suspensos. ‘‘Devemos alterar um pouco nosso posicionamento em campo, tornando a equipe mais ofensiva em busca da primeira vitória’’, adiantou o técnico.
A seleção da Venezuela joga no esquema 3-5-2, com forte marcação no meio de campo e saindo em contra-ataques puxados por Jorge Giraldo e pelo meia Daniel Noriega, jogador do União Santa Fé da Argentina que está sendo vendido para o Cristal do Peru. ‘‘Mostramos um futebol razoável, apesar dos resultados negativos. Esperamos uma vitória nesta última partida, para voltarmos para casa com um saldo mais razoável’’, afirmou Lino Alonso.
A opinião do técnico equatoriano Alfredo Encalada é a mesma. ‘‘Temos que ganhar este jogo para voltarmos com pelo menos uma vitória para casa’’. Segundo Encalada o jogo vai ser difícil justamente por este motivo. ‘‘As duas seleções precisam desta vitória antes de voltar para casa.’’
Para o treinador, a situação fica muito complicada se perderem este jogo. ‘‘Os jornalistas do Equador são muito sistemáticos. Ou se ganha ou se perde. Para eles não vai interessar explicar que fomos prejudicados pela arbitragem nos três primeiros jogos. Eles não estiveram aqui. Não viram’’.
O Equador entra em campo para enfrentar a Venezuela com o mesmo time que jogou contra o Brasil no último domingo. A única alteração feita é susbstituição do volante Ramos por Zamora. A estratégia de jogo também continua a mesma. O time vai jogar fechado, deixando apenas o atacante Kaviedes na frente. ‘‘Queremos dar pelo menos uma alegria para o nosso País’’, explica Encalada, referindo-se ao golpe militar e a dolarização da moeda, que aconteceram recentemente no Equador.
Apesar de já estar eliminada, Encalada afirma que a sua seleção não jogou mal. ‘‘Se tivessemos jogado mal os empresários não estariam rondando a seleção para comprar alguns dos nossos jogadores.’’ Na quarta-feira o técnico foi procurado por empresários brasileiros e ontem, empresários colombianos voltaram a conversar.

FICHA TÉCNICA
Venezuela
Vega; Vielma, Peres e Becerra; Rojas, Duno, Vitale, Arango e Giraldo; Cáceres e Noriega. Técnico: Lino Alonso
Equador
Villafuerte; Moreno, Bolivar Gomez, Reasco, Mendez, Espinoza, Justavino, Zamora; Corozo, Candelario e Kaviedes. Técnico: Alfredo Encalada
Árbitro: Saul Feldman (Uruguai)
Estádio: Café, em Londrina
Horário: 15 horas