|
  • Bitcoin 102.453
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 29/05/2022, 15:19

Pérez vence 'corrida maluca' em Mônaco

Prova teve atraso por conta da chuva, acidente feio e lambança; Sainz e Verstappen completaram o pódio

PUBLICAÇÃO
domingo, 29 de maio de 2022

Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

São Paulo – O mexicano Sergio Pérez, da Red Bull, venceu o GP de Mônaco da Fórmula 1 em uma corrida que teve de tudo: chuva forte, atraso de mais de uma hora para a largada, acidente feio e lambança da Ferrari. O espanhol Carlos Sainz, da Ferrari, e o holandês Max Verstappen, da Red Bull, completaram o pódio.  

Pérez contou com estratégia certeira da Red Bull para chegar na frente Pérez contou com estratégia certeira da Red Bull para chegar na frente
Pérez contou com estratégia certeira da Red Bull para chegar na frente |  Foto: Sébastien Bozon/AFP
 

O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, largou na pole, mas se deu mal com uma lambança da escuderia italiana e fechou em quarto. O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, ficou em oitavo. 

 Com tantos incidentes, a prova foi finalizada ao término do tempo limite de 3 horas, e não pelo número de voltas previamente estabelecido. O resultado da corrida ampliou a vantagem de Verstappen sobre Leclerc na liderança do Mundial de Pilotos. O holandês soma 125 pontos, contra 116 do monegasco. Pérez vem em terceiro, com 110 pontos. 

 A largada, originalmente marcada para as 10h (de Brasília), foi primeiramente adiada em mais de 15 minutos devido à chuva. Na sequência, os pilotos, todos com pneus de chuva forte, foram para a volta de apresentação, mas a chuva apertou, e a organização interrompeu com bandeira vermelha, sem previsão para a largada. 

 Após a bandeira vermelha, a chuva deu uma amenizada, mas logo voltou a apertar. Depois, quando novamente diminuiu, os carros foram a pista e largaram com o safety car por volta de 11h05 (de Brasília). 

 Ainda com o safety car na pista, os canadenses Lance Stroll, da Aston Martin, e Nicholas Latifi, da Williams, bateram e precisaram ir para os boxes, mas retornaram para a corrida. O safety car saiu no fim da segunda volta. A corrida, então, começou para valer na terceira volta. Leclerc patinou, mas seguiu na frente. 

 Com a pista secando, primeiro, os líderes foram para os pneus intermediários, mas optaram pelos duros a partir da volta 22 - apenas Sainz foi dos pneus de chuva forte direto para os duros. 

 Na primeira parada, colocando intermediários, Leclerc perdeu posição para Pérez, mas a situação do monegasco piorou ainda mais quando a Ferrari chamou o piloto para a segunda parada dele, desta vez para colocar pneus duros. 

 Na entrada nos boxes, Leclerc perdeu tempo ao ter que esperar Sainz, que fazia sua primeira parada, trocar os pneus à sua frente. As duas Red Bulls foram para os boxes na sequência. A perda de tempo fez o monegasco cair para a quarta posição. Pérez voltou em primeiro, com Sainz em segundo, Verstappen em terceiro e Leclerc em quarto. 

 Na saída dos boxes, o holandês cruzou a linha amarela para impedir a ultrapassagem do monegasco, mas não precisou devolver a posição a Leclerc na corrida.  

Após a corrida, Sainz ainda explicou o que fez ele perder a posição para Pérez. "Fizemos tudo o que tínhamos que fazer. Na minha volta na saída [dos boxes], fiquei preso atrás de um carro e me custou a vitória na corrida. Você pode entender minha frustração, é como o esporte às vezes é. Checo [Pérez] não teve sorte em Jeddah. Hoje, fez uma grande corrida."  

ACIDENTE  

O alemão Mick Schumacher bateu forte, mas saiu ileso. O piloto da Haas perdeu o controle, bateu de frente, rodou, e então bateu forte na barreira de proteção de impacto, o que fez o carro ficar dividido em dois.  

O alemão usou o rádio para dizer que estava bem. "Estou bem. Só não entendi o que aconteceu", disse, ainda no carro. A organização paralisou a corrida com bandeira vermelha.  

RETOMADA  

Na retomada da corrida, na volta 33, Pérez e Verstappen vieram com pneus médios, enquanto as duas Ferraris seguiram com os duros. A partir daí, a prova passou a ter o cronômetro, e não mais o número de voltas.  

A estratégia da Red Bull pareceu mais certeira, já que o mexicano conseguiu abrir vantagem na ponta, enquanto o holandês se aproximou de Sainz e manteve Leclerc atrás.  

Os 10 minutos finais ainda trouxeram emoção. Os quatro primeiros ficaram colados, mas nada mudou. Ninguém conseguiu ultrapassar para festa de Pérez e da Red Bull.