Caxias do Sul, 13 (AE) - Embora conte com um patrocinador forte como a Parmalat, o Juventude investiu pouco na equipe que vai disputar a competição sul-americana. O clube gaúcho recebe cerca de R$ 70 mil por mês da multinacional. Desde 1996 que o contrato entre o Juventude a Parmalat deixou ser co-gestão como ocorre com o Palmeiras.
O time é praticamente o mesmo que fez uma fraca campanha no último Brasileiro, que resultou na queda para a Segunda Divisão. A diretoria conseguiu trazer de volta o lateral-direito Márcio, que estava no futebol da Turquia, e contratou o volante Djair, ex-Grêmio, e o goleiro Wellerson, do Americano de Campos. Com um elenco reduzido, a diretoria do Juventude tentou na semana passada trazer também de volta o zagueiro Índio, cujo passe havia sido cedido ao Palmeiras.
A estréia do Juventude será contra o El Nacional, do Equador, quarta-feira, em Caxias do Sul. O clube gaúcho tem como objetivo chegar pelo menos na segunda fase. O Juventude imagina que o Palmeiras deverá ficar com uma das vagas do grupo. Por isso, o campeão da Copa do Brasil vai concorrer pela segunda vaga. O técnico Valmir Loruz deve escalar esta equipe: Wellerson; Márcio, Vanderlei, Picoli e Denis; Djair, Lauro, Wallace e Kiko; Maurílio e Cris.