Paraná terá seleção no Circuito de Surf O esporte, que tem mais de 2 milhões de praticantes no país, está crescendo e ganhando muitos adeptos no Paraná Denis Ferrreira NetoO atual campeão paranaense da Open, Alessandro Pulga, envolvido pelo tubo perfeito, na final do Circuito Estadual, em Dezembro na Ilha do Mel.DivulgaçãoSURFA seleção paranaense de surf que treina em Matinhos para a disputa do Circuito Nacional. Marcos Freitas De Curitiba Quando Petterson Rosa ainda nem ganhava notoriedade no surf nacional, ele mesmo dizia que no Paraná tinha muita gente boa caindo no mar atrás de boas ondas. Hoje, o surfista radicado no pico de Matinhos, é bicampeão brasileiro e um dos melhores ‘brazucas’ do circuito mundial, e é a própria prova do que disse: O surf no Paraná tem muita qualidade. O crescimento do esporte nas águas paranaenses é evidente. O número de adeptos que participa dos campeontos aumenta a cada etapa. O nível técnico das competições também agrada aos dirigentes. Tanto que, desde junho do ano passado, o surf paranaense tem uma entidade coesa e que já deu mostras para que veio. A Federação Paranaense de Surf era um sonho antigo dos desportistas e já no primeiro campeonato realizado teve a disputa de 11 etapas das quais se definiu a composição da seleção paranaense que, pela primeira vez na história do esporte, vai representar o Paraná no Circuito Brasileiro. A escolinha de surf que funciona em Matinhos também é um avanço no sentido de formar novos talentos. O apoio financeiro da iniciativa privada em patrocinar centros de formação de atletas, dando oportunidade para que eles conheçam e treinem durante as etapas dos grandes circuitos mundiais, certamente será uma grande alavanca para que as empresas lucrem muito, e para que o surf do estado ganhe ainda mais notoriedade nacional e internacional. Afinal é um esporte que a cada dia ganha maior simpatia e que conta com mais de 2 milhões de adeptos no Brasil. A seleção paranaense de surf terá 14 representantes, divididos em sete categorias. Na master, para surfistas acima de 30 anos, Túlio Cristiano; na open, a principal categoria, foram escolhidos os quatro melhores classificados do ano passado: são eles - Alessandro Pulga, campeão, Gil Cordeiro, vice, Alex Lima e Jefferson da Veiga; na categoria júnior, vão representar o estado - Jorge Porvilho, Jihad Kohdr, Cleverson Gonçalves e Gilberto Novaes. O ‘time’ paranaense está treinando em Matinhos, no litoral paranaense, e a estréia no Circuito Nacional está marcada para o dia 17 de março na Praia de Torres, no Rio Grande do Sul. A segunda etapa acontece no 24 de março em Florianópolis. No final de semana de 21 a 23 abril, bem na comemoração dos 500 anos do Brasil, os surfistas vão cair nas águas da Praia de Iacaraí no Ceará. Na semana seguinte, 28 a 30 de abril, a quarta etapa acontece em Maracaípe, no estado de Pernambuco. Os surfistas terão uma pausa de cinco meses no calendário e só voltarão a disputar a quinta etapa em Guarujá, São Paulo, no dia 1º de setembro. No feriadão da Semana da Pátria, de 8 a 10 de setembro, a última etapa do Circuito Nacional acontece na Praia do Arpoador, no Rio de Janeiro. Pulga O atual campeão paranaense de Surf, categoria Open, Alessandro Gaspar Dias, o o Alessandro Pulga, 23 anos, vive momento único na vida e na carreira. Depois de ficar quatro anos longe das competições por causa de uma loja de surf que possuía desde 1991, Pulga decidiu abandonar de vez a vida de empresário e, literalmente, se jogar ao mar. ‘‘Com a loja - Pulga Surf Shop - eu não tinha tempo de me dedicar ao esporte e aquela condição não estava me fazendo bem’’, conta. A volta nas competições aconteceu em 1998, e no ano passado, conseguiu o primeiro lugar na categroria principal do surf, a Open, vencendo a última etapa na Ilha do Mehl em Dezembro com manobras que levantaram o público presente e que lhe garantiram farta pontuação na classificação geral. ‘‘Foi um dos melhores momentos que já vivi no esporte’’, disse. ‘‘Afinal ficar fora do circuito e depois tentar voltar, a cobrança é muito maior’’, avalia.