Áureo Nogueira
De Bandeirantes
O Paraná Clube foi a Bandeirantes e venceu o União, por 3 a 2, ontem à tarde, mantendo-se na liderança do Campeonato Paranaense, com aproveitamento de 100% nas três rodadas iniciais. Com a derrota, o União continua com apenas um ponto e está entre os últimos colocados (veja quadro na página 1).
O jogo foi muito movimentado, ainda que tecnicamente fraco. A chuva, que começou fina no início do jogo e aumentou no segundo tempo, também prejudicou o desempenho dos jogadores.
O Alvinegro demonstrou muita disposição, mas lhe faltou experiência e talento. O Tricolor atuou como time grande, ainda que jogando fora de casa. E contou com a cumplicidade do árbitro Cleivaldo Bernardo, que na dúvida sempre apontou em favor do time da capital e chegou até a inverter laterais contra o representante do interior.
Aos 26 minutos, Lúcio Flávio levantou a bola do lado esquerdo, o zagueiro Ageu subiu no meio da área e mandou a bola para dentro do gol de cabeça: Paraná 1 a 0.
O União não se intimidou. Aos 32, o atacante Jabá surgiu com rapidez na cara do goleiro Marcos. O goleiro fez a defesa, cedendo escanteio. Na cobrança, a defesa tricolor ‘bateu cabeça’ e a bola foi tocada para o lateral-esquerdo Preto, no outro lado da área. Ele chutou forte, empatando o jogo: 1 a 1.
Ainda no primeiro tempo, o representante do Norte do Estado chegou a ameaçar o gol de Marcos em duas cobranças de escanteio. Na primeira, a bola foi chutada direta e o goleiro cedeu outro córner. Na segunda, o pequeno mas rápido Jabá entrou na paralela à linha lateral da pequena área e conseguiu o cabeceio. A bola caiu próximo ao ângulo do lado oposto, raspando o travessão.
Já nos descontos, o Paraná marcou: Lúcio Flávio cobrou escanteio pelo lado direito, Márcio apareceu sozinho na marca do pênalti e pegou de primeira. Um golaço.
O Paraná começou o segundo tempo dominando o setor do meio-campo. Satisfeito com o 2 a 1, o Tricolor procurava tocar a bola e segurar o União na sua intermediária. O técnico Cláudio Antunes (o Claudinho) trocou Carlinhos por Godói. O objetivo era adiantar um pouco o meio-campo e dar mais qualidade no toque de bola.
Com a substituição, o União melhorou, mas demonstrava ansiedade na busca do gol de empate. Quando tinha a bola, trocava passes, mas não conseguia articular uma jogada que permitisse entrar na área paranista.
Aos 25, a defesa do União parou, esperando a marcação de um impedimento. Márcio entrou na área sozinho e foi derrubado pelo goleiro Luís Antônio. O árbitro sinalizou pênalti. Lúcio Flávio executou a cobrança, jogando o goleiro para um lado e a bola para o outro: Paraná 3 a 1.
Até o final do jogo, o União ainda conseguiu exercer uma pressão, desperdiçando algumas oportunidades de bola parada na frente da área. Aos 42, a equipe da casa ainda conseguiu descontar, com Godói aproveitando uma bola cruzada na área. Aí era tarde demais para tentar o empate.


COMENDADOR MENEGHE

União Bandeirante 2
Luís Antônio; Casão, Chesco, Adriano e Preto; Vítor (Marco Antônio), Evandro, Ado e Carlinhos (Godói); William e Jabá. Técnico: Cláudio Antunes
Paraná Clube 3
Marcos; Fernando Miguel, Milton do Ó e Ageu; Patrício, Fredson, Marcelo, Lúcio Flávio e Souza; Fernando Diniz (Everaldo) e Márcio. Técnico: Leomir Souza
Árbrito: Cleivaldo Bernardo
Estádio: Comendador Luis Meneghel; em Bandeirantes
Renda: R$ 2.082,00 (740 pagantes)
Gols: Ageu aos 26, Preto aos 32 e Márcio aos 46 do 1º. Lúcio Flávio aos 25 e Godói aos 42 do 2º