|
  • Bitcoin 142.039
  • Dólar 4,8662
  • Euro 5,1322
Londrina

Esporte

m de leitura Atualizado em 27/04/2022, 23:08

Palmeiras vence Emelec, Rony bate recorde e time segue 100% na Libertadores

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 27 de abril de 2022

DIEGO IWATA LIMA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Palmeiras manteve a ótima campanha na Copa Libertadores e venceu o Emelec por 3 a 1, em Guayaquil (EQU) na noite desta terça-feira (27). Embora tenha jogado com um time misto, o clube alviverde só teve um pouco mais de dificuldades na reta final. Rony, Gabriel Veron e Breno Lopes marcaram os gols dos visitantes, enquanto que João Rojas diminuiu para os equatorianos.

O gol de Rony, aliás, que inaugurou o placar, é histórico: foi seu 13º pelo Palmeiras na Copa Libertadores. O número faz dele o maior artilheiro do Palmeiras na história do torneio. E o clube amplia sua marca de invencibilidade como visitante no torneio: agora são 17 jogos.

Além dos nove pontos a que clube chegou com o resultado, que o colocam na liderança de seu grupo, o Palmeiras atingiu também a marca de 15 gols pró e se isolou como melhor ataque da competição. O segundo melhor, no momento, é o Estudiantes (ARG), com seis.

O clube alviverde volta a campo no sábado (30) para enfrentar o Juazeirense-BA pela terceira fase da Copa do Brasil. Pela Libertadores, o time joga novamente na próxima terça-feira (3), contra o Independiente Pe

trolero, na Bolívia.

O Palmeiras não demorou para transformar sua superioridade em gols. Logo aos 18 minutos, Scarpa viu Wesley com espaço pela esquerda e inverteu a bola com perfeição. Wesley "fatiou" de primeira e cruzou na cabeça de Rony. O camisa 10 subiu muito e cabeceou com perfeição. Foi 13º gol dele pelo Palmeiras na competição. Com esse número, ele se torna o maior artilheiro alviverde na história da equipe no torneio, ultrapassando o meia Alex (1997 a 2000, 2001 e 2002).

Aos 24, Veron arrancou por mais de 40 metros antes de bater de pé esquerdo sem chance para o goleiro. O mesmo Veron poderia ter feito um outro gol na primeira etapa, aos 30. Rony também teve excelente chance, aos 41 minutos. Veron deu bom passe para ele na área. O artilheiro conseguiu concluir e vencer o goleiro. Mas Guevara salvou em cima da linha.

O castigo veio rápido. A jogada do Palmeiras foi muito bem feita: de Scarpa para Wesley, dele para Veron dentro da área. O cruzamento veio baixo, mas Rony tentou ir na bola de cabeça e concluiu mal. No contra-ataque, Carabali tentou lançar a bola nas costas de Mayke, que se posicionou bem e a dominaria com facilidade. Mas num segundo de desconcentração, ele não viu que João Rojas chegava na corrida. O equatoriano dominou na entrada da área, avançou e bateu na saída de Weverton.

O gol fez com que o Emelec aumentasse a pressão e deixasse um jogo completamente tranquilo em uma partida um pouco mais difícil. Mas o resultado continuou verde até o fim.

Já nos acréscimos, Breno Lopes tentou cruzar para a área e viu a bola fazer uma curva e entrar na meta rival, aos 47 minutos do segundo tempo.

EMELEC

Pedro Ortiz; Carabali, Aníbal Leguizamón (Quintero), Guevara e Bruno Pittón; Dixon Arroyo, Sebastián Rodríguez, Cevallos e Rodriguez; Zapata (Caicedo), Cabeza e Rojas. T.: Ismael Rescalvo

PALMEIRAS

Weverton, Mayke, Gómez, Kuscevic e Piquerez (Jorge); Danilo, Atuesta (Fabinho) e Scarpa (Menino); Veron (Breno Lopes), Rony (Navarro) e Wesley. T.: Abel Ferreira

Estádio: George Capwell, em Guayaquil (Equador)

Árbitro: Patricio Loustau (Argentina)

Assistentes: Ezequiel Brailovsky e Diego Bonfá (ambos da Argentina)

Cartões Amarelos: Quintero, Arroyo e Zapata (EME); Scarpa (PAL)

Gols: Rony (PAL), aos 18', e Veron (PAL), aos 24'/1ºT; Rojas (EME), aos 16', e Breno Lopes (PAL), aos 47'/2ºT.