É cada vez menor o número de defensores de Ricardo Gareca no Palmeiras. Paulo Nobre ouviu pedidos pela demissão do argentino na sexta, em reunião do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), e a pressão deve crescer hoje à noite, desta vez em reunião do Conselho Deliberativo. Em maio, quando Kleina foi mandado embora, o cenário era o mesmo.
Seja qual for o tema, as "cornetadas" são recorrentes no clube e nem sempre interferem em decisões da diretoria, mas o impacto cresce com a proximidade da eleição, prevista para novembro.
Os votos para presidente serão dos sócios, mas os conselheiros mantêm influência nos bastidores: uma chapa com pequeno apoio entre eles dificilmente vencerá a disputa e pode até ser impedida de concorrer (veja mais detalhes ao lado).
César Maluco, que faz parte da chapa de oposição liderada por Wlademir Pescarmona, diz já ter escolhido um novo técnico, que é brasileiro.
Contrariar opiniões quase unânimes pode ser um tiro no pé para Paulo Nobre, que tentará se reeleger. Em agosto, ele cedeu à pressão para demitir o diretor de marketing Marcelo Giannubilo. O diretor-executivo José Carlos Brunoro e o gerente de futebol Omar Feitosa, também criticados, não devem ficar para 2015.
Em Gareca, o mandatário segue apostando, mas o técnico já perdeu o status de intocável. Antes de pensar em romper o contrato, a diretoria vai sugerir mudanças nos métodos de trabalho. Se não der certo, as chances de demissão serão grandes. . - Levar do jeito que está não pode, isso não quer dizer que tenha que trocar treinador. A reação tem que ser imediata, alguma coisa realmente precisa mexer com brios, com o moral, até sistemas se não estiver funcionando - disse Brunoro, que está mais afastado do departamento de futebol, enquanto o vice Maurício Precivalle tomou a frente.
- Nossa tendência é manter treinadores. Lógico que em tudo há um limite, mas neste momento não estamos pensando nesse limite - completou Brunoro, em discurso praticamente idêntico ao que Gareca vinha adotando até sábado, quando se comprometeu a ir com o Palmeiras "até as últimas consequências" se a diretoria não mandá-lo embora.

Imagem ilustrativa da imagem PALMEIRAS - Cornetas ligadas