Pouco apoio oficial e muita determinação. É assim que um grupo de deficientes físicos de Londrina enfrenta as dificuldades do dia-a-dia e faz do esporte um aliado na busca pela qualidade de vida. Apoiados pela Associação de Deficientes Físicos de Londrina (Adefil), eles têm se destacado em jogos paraolímpicos e recuperado muito da auto-estima perdida com a capacidade plena de movimentos.
‘‘Eu aprendi a viver com o esporte. Antes, eu era preconceituoso, sentia muita vergonha e não saía de casa. Mas já na primeira competição que participei, em Recife-PE, percebi que tinha muita gente na mesma situação que eu ou até pior. Daí pensei: se eles podem, por que eu não posso?’’ O depoimento é de Claudines Bartolomeu, 30 anos, tetraplégico há dez anos. Ele foi atropelado a poucos quarteirões de sua casa, sofreu trauma raquimedular e durante um ano e meio perdeu todos os movimentos do pescoço para baixo.
O primeiro diagnóstico que Claudines recebeu dos médicos é que ficaria numa cama para sempre. Ele preferiu não aceitar esta sentença e passou a investir na fisioterapia e natação, que têm sido fundamentais na sua recuperação. ‘‘Hoje eu saio, vou ao shopping e dirijo meu carro adaptado’’, conta o atleta, que tirou a carteira de motorista há cerca de um mês.
Claudines Bartolomeu faz parte de um projeto coordenado pelo fisioterapeuta e professor da Universidade Estadual de Londrina (UEL) Jeferson Cardoso Rosa, que conta com o apoio do Londrina Country Club e Associação dos Funcionários Municipais de Londrina (AFML). Outro participante do projeto é Celso Hirashima, 40 anos, auxiliar de serviços gerais da Farmácia da Secretaria Municipal de Saúde. Aos 15 anos sofreu descolamento da retina, perdendo a visão. Até os 27 anos viveu com a família em um sítio, quando resolveu encarar o desafio de viver na cidade.
Há quatro anos começou a nadar e hoje acredita que o esporte o ajuda muito física e psicologicamente. ‘‘A gente aprende a se valorizar, provamos para nós mesmos que podemos superar nossas dificuldades’’, diz Celso, que ficou em primeiro nas duas provas que competiu recentemente em Penápolis (interior de São Paulo).