São Paulo, 29 (AE) - A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) distribuiu hoje para os clubes as regras do ranking provisório para a formação de equipes masculinas e femininas para a temporada 2000/2001 da Superliga. Os clubes devem estudar as propostas e enviar sugestões para a CBV até o dia 10. A entidade promete divulgar o ranking definitivo no dia 15.
Como sempre, o ponto de maior discussão deve ser a pontuação dos jogadores (os atletas ganham pontos e cada equipe pode somar
no máximo, 32 pontos). Pelas regras propostas, o patrocinador que quiser poderá montar um supertime, tanto no masculino como no feminino.
"O ranking é bom de um modo geral, mas a pontuação de alguns atletas deve ser discutida", acredita o gerente de vôlei do Banespa, José Montanaro Júnior. "Não tem sentido o Nalbert, o Tande e o Giovane valerem apenas 5 pontos", prossegue. "O ranking foi criado justamente para evitar a criação de equipes imbatíveis, que terminem com o equilíbrio de forças da competição."
Só seis atletas no masculino - Giba, Kid, Douglas, Gustavo, Max e Ricardinho - e seis no feminino - Ana Moser (que já parou de jogar), Fernanda Venturini, Fofão, Karin, Leila e Virna - receberam a pontuação máxima de 7 pontos.
"O ranking foi criado para nivelar os times, mas o número pequeno de patrocinadores deixou muita gente sem equipe", lembra o técnico William Carvalho, do MRV/Minas. "O que adianta impedir as equipes que tenham dinheiro de contratar se sobram atletas no mercado?", prossegue. "O bom seria o surgimento de mais equipes."
Rexona - O secretário de Esportes e Turismo do Paraná, Ney Leprevot, lamentou que o diretor de Marketing Esportivo da Gessy Lever, Luiz Felipe Vaz, tenha criticado, pelos jornais, o andamento da parceria entre a empresa e o governo paranaense. "As críticas deveriam ter sido feitas diretamente à Secretaria", diz Leprevot. "Agora, o assunto será tratado entre o governador e o presidente da Gessy Lever."
O secretário lembra que o vôlei é apenas um dos esportes apoiados pelo governo, que manterá o projeto social da modalidade, mesmo que a empresa, por intermédio da marca Rexona, retire o patrocínio da equipe curitibana.